Cidadeverde.com
Política

Governadores esperam vacinar 60% da população até outubro, diz Wellington Dias

Imprimir

Foto: RobertaAline/CidadeVerde.com

 


O governador Wellington Dias (PT) afirmou que os chefes do poder executivo no País esperam vacinar 60% da população brasileira até outubro deste ano. Wellington Dias, que preside o Consórcio Nordeste e coordena a temática da vacinação contra a Covid no País, voltou a defender a necessidade de acelerar a vacinação.

“Queremos acelerar a vacinação. Junto com o Butantan e a Fiocruz buscamos as condições de acelerar a produção tanto da Coronavac e de outras para chegarmos, em outubro, com mais de 60% da população vacinada. Estamos com 30% de vacinados até o momento. Mas, é com um volume maior de vacinados até outubro que queremos chegar a esse patamar. Temos condições de vacinar o dobro do que fizemos até agora”, disse.

Para a aceleração da vacina, os governadores buscam a liberação para o inicio da vacinação com a Sputnik V.

“A  Sputnik  está à disposição. Perdemos lá atrás os lotes que eram de  abril, maio e junho. Não vamos perder o lote de julho. Fizemos uma parceria com a Fiocruz e o Instituto Nacional de Qualidade em Saúde na área de avaliação da qualidade de vacina. Com o laboratório que vai avaliar essa parte da segurança em relação à qualidade da vacina. Temos tudo pronto feito com várias entidades para o monitoramente e acompanhamento pós-vacina.  Das exigências da Anvisa chegamos ao ponto da condição de celebrar o termo de monitoramento e a autorização para entrar 1% na condições de fazer e seguir com novos lotes”, destacou.

Pode flexibilizar ainda mais

Depois de permitir a realização de eventos com  até 100 pessoas, Wellington Dias não descarta flexibilizar ainda mais as medidas restritivas de circulação de pessoas no estado.  Ele afirmou que essa será uma discussão a ser feita com o COE (Comitê de Operações Emergenciais) na próxima semana. 

Porém, Wellington Dias destacou que a população não pode descuidar das medidas de proteção contra o vírus. 

“Temos uma situação em que de um lado, do ponto de vista do momento, tivemos uma melhora no sistema. Porém ainda é um momento cuidadoso.  Depende do comportamento do coronavírus. Temos uma combinação de fatores positivos. Temos não só melhoras com relação à ocupação de leitos de UTI e clínicos. Temos redução na transmissibilidade e no número de pessoas que são casos confirmados de coronavírus. Prosseguindo assim, vai nos permitir propor ao COE mais passos de flexibilização. Saberemos nas próximas semanas”, destacou. 

 

Lídia Brito
[email protected]

Tags:
Imprimir