Cidadeverde.com
Vida Saudável

Problemas bucais podem agravar doenças do coração e diabetes

Imprimir

Foto: Arquivo CV

Além de uma boa alimentação, os cuidados com a saúde bucal são essenciais para um bom funcionamento de todo o organismo. Para as pessoas que possuem doenças sistêmicas, ou seja, patologias que afetam todo o corpo, a cavidade bucal pode ser a entrada para o agravamento do quadro. Por isso, é importante que o dentista conheça o histórico clínico do paciente.

De acordo com o ortodontista André Veloso, as doenças sistêmicas mais comuns e que precisam de um acompanhamento odontológico adequado são doenças cardiovasculares e diabetes. No caso do coração, esse acompanhamento é fundamental, pois a saúde bucal e as doenças cardíacas estão interconectadas pela possibilidade de disseminação de bactérias e outros germes a partir da boca para outras partes do corpo. Dados do Instituto do Coração (InCor), da Universidade de São Paulo (USP), contabilizam que 45% das doenças cardíacas começam pela boca.

“Do ponto de vista sistêmico, a boca é a porta de entrada do organismo para inúmeras bactérias, além de possuir uma flora bacteriana complexa e natural desse ambiente. Pacientes com doenças sistêmicas podem apresentar alterações que comprometam o sistema de defesa do organismo e, associadas a uma má higiene bucal, as bactérias podem levar a complicações desses problemas já instalados no organismo”, destaca o ortodontista.
 
Segundo o especialista, é primordial que pacientes com diagnóstico dessas doenças visitem regularmente o dentista. “É importante o acompanhamento odontológico frequente de pacientes com problemas sistêmicos para evitar o agravamento de problemas bucais, pois, dependendo da gravidade da doença do paciente, isso pode gerar uma complicação maior e necessidades especiais de atendimento”, reforça André.

O dentista alerta ainda que quando essas bactérias alcançam o coração, elas aderem a áreas lesionadas, provocando assim, infecções. “Isso pode resultar em doenças como a endocardite, uma infecção do revestimento interno do coração”, acrescenta.

Outro problema bastante comum e que necessita de um acompanhamento odontológico regular é a diabetes, patologia que coloca o Brasil na relação dos 10 países com maior número de pessoas com a doença, de acordo com estudos apresentados pela Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD). “Pacientes diabéticos têm alto risco de desenvolver problemas bucais por conta do descontrole da glicemia e interferência na produção salivar. Dessa forma, estão mais suscetíveis a infecções”, informa o ortodontista.

André Veloso orienta ainda que os pacientes com doenças sistêmicas não se descuidem dos cuidados bucais por causa da pandemia. “Esse acompanhamento odontológico tem o objetivo de evitar complicações mais sérias em decorrência dessas condições. Por isso, é importante que não descuidem, mesmo com a pandemia, é preciso cuidar da saúde bucal”, enfatiza.

Movimento adota julho como o mês de conscientização da saúde bucal

O Movimento Julho Neon – Salve o sorriso brasileiro, liderado pela Associação Brasileira de Planos Odontológicos (SINOG), foi abraçado pelo Humana Odonto no Piauí. A campanha tem como objetivo democratizar o acesso aos tratamentos odontológicos de qualidade, adotando julho como o mês de conscientização da importância da saúde bucal. Dentre as ações nacionais, o movimento tem parceria com duas ONG's: “Doutores das Águas”, que realiza atendimento gratuito à população ribeirinha da bacia Amazônica e a “Turma do Bem - TdB”,  que conta com o maior número de dentistas voluntários do mundo. 

 

[email protected]

 

Imprimir