Cidadeverde.com
Esporte

Criciúma vence e sai na frente do Fluminense nas oitavas da Copa do Brasil

Imprimir

O Fluminense saiu atrás do Criciúma em confronto pela Copa do Brasil. Em uma jornada de pouca imaginação, o Tricolor perdeu por 2 a 1 para o Tigre, nesta terça (27), no estádio Heriberto Hulse, pela partida de ida das oitavas de final. 

Foto: Mailson Santana/FFC

Abel Hernández, em uma cobrança de pênalti, fez o gol da equipe depois que Hygor e Fellipe Mateus deram a vantagem aos catarinenses.

Com o resultado, o Flu precisará vencer por dois gols de diferença a partida de volta para ficar entre os oito melhores do torneio.

O jogo está marcado para o próximo sábado (31), no Maracanã. Como não há a regra do gol qualificado no torneio, um triunfo por apenas um gol levará a decisão para a disputa por pênaltis.

Essa foi a terceira derrota consecutiva do Fluminense. Antes de perder para o Tigre, a equipe dirigida por Roger Machado havia perdido para Palmeiras e Grêmio pelo Campeonato Brasileiro.

Já o Criciúma conquistou sua primeira vitória na Copa do Brasil 2021. O time catarinense havia empatado os quatro jogos disputados no torneio.

Na primeira fase, passou pelo Marília ao ficar no 0 a 0. Posteriormente, eliminou Ponte Preta e América-MG em disputas por pênaltis após duas igualdades em cada confronto.

JOGO TRUNCADO NO COMEÇO

anto Fluminense quanto Criciúma pareciam com medo de buscar o ataque no início da partida. Para completar, o Tricolor não tinha imaginação para agredir o gol adversário.

O primeiro chute a gol aconteceu apenas aos 20 minutos, com Nenê, para fácil defesa de Gustavo. Depois disso, o time visitante não exigiu mais nada do goleiro adversário.

TIGRE MELHORA NA RETA FINAL

Acuado e esperando o erro do adversário na maior parte do tempo, o Criciúma se arriscou ao ataque a partir dos 30 minutos. Marcão quase marcou em um carrinho, enquanto Dudu Vieira e Hélder testaram o goleiro Marcos Felipe, mas sem provocar grande emoção.

GOL SEM QUERER, QUERENDO

Não foi um primeiro tempo que merecia movimentação no placar. E talvez por isso o único gol dos primeiros 45 minutos saiu em uma jogada nada ensaiada. O Fluminense afastou uma jogada aérea, com Luccas Claro, e Martinelli não conseguiu o domínio para sair jogando.

A bola sobrou para Eduardo, que arriscou chute de longe. No meio da trajetória, a bola bateu em Hygor e enganou o goleiro Marcos Felipe, entrando no canto direito. 

"Fui feliz ali. Hoje em dia tá tão difícil para um atacante fazer gol, do jeito que o futebol tá tão dinâmico, pela tática. O Eduardo finalizou, acabou desviando em mim para dar essa vitória parcial", explicou o atacante em entrevista ao Sportv.

FLU VOLTA MELHOR, MAS CEDE SEGUNDO GOL

Ainda que não tenha criado boas oportunidades de gol, o Flu voltou melhor para a etapa final e passou a cercar mais a área adversária. Só não podia contar com um erro de Egídio, que passou a perna em Dudu dentro da área.

O árbitro Caio Max Augusto Vieira mandou a jogada seguir, mas depois revisou o lance com o VAR. Ele decidiu pela marcação do pênalti. Fellipe Mateus cobrou com categoria, sem dar chance a Marcos Felipe, e ampliou a vantagem do Criciúma aos 20 minutos.

TRICOLOR GANHA PÊNALTI DE PRESENTE

Assim que levou o segundo gol, o técnico Roger Machado promoveu três alterações para as entradas de Martins, Ganso e Abel Hernández. Não houve nem tempo para saber se elas funcionaram. 

Aos 23 minutos, o árbitro marcou um pênalti contestável de Hélder em Luccas Claro, em disputa pela bola na área. E nem precisou revisar o lance com o VAR. Na cobrança, Abel bateu e diminuiu a desvantagem do Tricolor.

FRED EM SECA DE GOLS

Depois de um início promissor de temporada, Fred caiu de produção. O centroavante do Tricolor chegou a quatro partidas sem marcar. Nos últimos dez jogos, ele fez apenas um gol, na derrota para o Athletico-PR por 4 a 1. Antes dessa sequência negativa, o ídolo do Fluminense havia marcado 11 vezes em 14 jogos.

CRICIÚMA ATRÁS NO RETROSPECTO

A vitória desta terça foi apenas a segunda do Criciúma em sete partidas contra o Fluminense na Copa do Brasil. A outra havia acontecido em 1996, quando o time catarinense levou a melhor em um confronto pelas oitavas de final.

O confronto atual é o quarto entre as equipes pelo torneio, com o Tricolor tendo levado a melhor em dois dos três mata-matas.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Imprimir