Cidadeverde.com
Política

Robert Rios aposta em redução no número de partidos: “Disputa olímpica”

Imprimir

Foto: RobertaAline/CidadeVerde.com

O secretário de Finanças, Robert Rios (PSB), afirma que haverá uma redução significativa no número de partidos para 2022 no Piauí. Para ele,  na base do governador Wellington Dias (PT) ficariam apenas duas siglas e apenas uma na oposição.

Robert avalia que será uma “disputa olímpica” para os partidos conseguirem montar chapas, se não houver mudança do sistema eleitoral  para o distritão.

“Se as regras ficarem como estão  ou modificar ainda para pior, se a sobra dos votos que era a regra que elegeu deputados como a Marina Santos e Átila Lira, a tendência é que no Piauí para concorrer e disputar fiquem apenas três partidos que são PT, o Progressistas e o MDB. Isso para disputar. Agora os outros partidos podem ficar e disputam cargo de senador, governador, presidente. Disputam de forma olímpica. Como estamos na olimpíada pode ser que alguém dispute. Para valer mesmo, se as regras forem essas e não passar o distritão, os partidos vão ter que enxugar. Não vejo o deputado Júlio César saindo candidato sozinho. O mesmo o Wilson Martins disputar sozinho. É muito difícil. A não ser que seja uma disputa olímpica”, destaca.

Com a possível saída de Wilson Martins do PSB, para disputar uma vaga de deputado federal, Robert Rios é o nome mais forte para assumir o comando do partido no Piauí. Wilson Martins é aguardado pelo MDB para compor a chapa do partido.

“Temos que saber primeiro se terá uma mudança de regra. Vamos ter que recalcular e examinar o quadro. Primeiro tem que mudar, saber se muda ou não. Veja como fica o PSB, em Teresina, na eleição passada. O vereador James Guerra ficou entre os 10 vereadores mais votados, se fosse distritão ele estaria eleito, mas como o partido não fez a legenda, ele ficou fora. Não adianta o Wilson Martins ter 150 mil votos se o partido não fizer a legenda”, destaca.

Lídia Brito
redaçã[email protected]

Imprimir