Cidadeverde.com
Política

Marco Aurélio Sampaio diz ser difícil aprovação do Distritão no Congresso

Imprimir

Foto: Ascom/Parlamentar

O deputado federal, Marco Aurélio Sampaio (MDB), avalia como remota a possibilidade do Congresso Nacional aprovar o Distritão como regra eleitoral para 2022. Segundo ele, a tendência é que se mantenha o atual sistema proporcional de lista aberta e sem coligações nas disputas por vaga na Câmara Federal e nas Assembleia Legislativas para o próximo ano.

O parlamentar avalia que uma mudança com condição de passar é a mudança na contagem da sobra. Atualmente qualquer partido pode disputa a sobra. Com a mudança, entraram na conta apenas as siglas que alcançarem o quociente eleitoral. 

“Existem algumas mudanças que são mais palatáveis para o parlamento federal e algumas que, no meu entender, são um pouco mais difíceis.  A mudança mais avançada é a questão do quociente eleitoral. Os partidos que não atingirem o quociente  não disputarão as vagas nem mesmo  na sobra. Algumas são mais difíceis de passar como as mudanças mais gerais no sistema atual para o Distritão ou Distrital Misto. São mais difíceis de passar no plenário”, destaca. 

O MDB trabalha para fortalecer a chapa proporcional com disputas por cadeiras na Câmara Federal e na Assembleia Legislativa do Estado. Nomes como o ex-governador Wilson Martins (PSB) e  o deputado federal Flávio Nogueira (PDT) são apostas para fortalecer a chapa federal da sigla. 

“O MDB é um partido forte,histórico e com bons nomes e bons quadros. Independente da regra eleitoral vigente na eleição, queremos aumentar nossa bancada. Para o MDB sair cada vez mais fortalecido e poder representar bem o Piauí. O prazo máximo é abril de 2022. Muito nomes ainda serão convidados. Propostas ainda serão feitas. Queremos bons nomes que tenham voto e propostas boas para o Piauí e o Brasil”, destaca. 

Lídia Brito
[email protected]

 

Imprimir