Cidadeverde.com
Geral

Mais de 270 imóveis do residencial Parque Brasil são invadidos na zona norte

Imprimir

Cerca de 278 imóveis do Residencial Parque Brasil, localizado na zona Norte de Teresina, construído para os moradores realocados do Parque Lagoas do Norte, foram invadidos desde a última sexta-feira (06) por pessoas não contempladas pelo programa habitacional.

No local, algumas residências invadidas já possuem energia. Outro grupo com cerca de 100 famílias também pretende ocupar os imóveis que ainda estão vazios.

Até o momento, foram entregues cerca de 150 casas e 120 apartamentos. O Residencial Parque Brasil conta com 1022 unidades e foi construído pelo Programa Lagoas do Norte em parceria com a Caixa Econômica Federal para abrigar famílias em situação de vulnerabilidade e reassentadas pelo programa.

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (SEMDUH) informou que todos os imóveis já foram sorteados e que devem ser entregues aos beneficiados com acompanhamento do Programa Lagoas do Norte, que também relatou que a invasão irregular já foi denunciada pela Caixa à Polícia Federal.

A Polícia Militar e Guarda Civil municipal reforçam a segurança no local para evitar novas ocupações.

Nota da Prefeitura

A Prefeitura de Teresina é parceira da Caixa Econômica Federal na construção do Residencial Parque Brasil, que é destinado a famílias em situação de vulnerabilidade e reassentadas pelo Programa Lagoas do Norte e Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação. A ocupação irregular de unidades habitacionais foi denunciada pela Caixa à Polícia Federal e a Prefeitura está dando apoio à instituição, principalmente com a destinação de equipes da Guarda Municipal, que estão de plantão no local.

A SEMDUH também informou em nota que os imóveis do Residencial Parque Brasil não estavam vagos. 

A Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (SEMDUH) esclarece que as casas e os apartamentos do Parque Brasil ainda não haviam sido entregues aos proprietários porque estavam sendo reformados. Na invasão ocorrida em outubro do ano passado, muitas residências tiveram portas, janelas e paredes depredadas e só poderiam ser entregues aos sorteados após o conserto.

Já havia programação para a entrega dos imóveis, mas a atual invasão está prejudicando o cronograma. A SEMDUH destaca que não há casas nem apartamentos disponíveis no Parque Brasil, pois todos já foram destinados a famílias que estavam cadastradas e que já tiveram seus cadastros analisados e aprovados.

O prefeito Doutor Pessoa determinou que as famílias que estão na invasão sejam cadastradas para a possível inclusão em futuros programas habitacionais.

A Prefeitura ressalta que já existe ordem judicial para a retirada das famílias que estão se apropriando dos imóveis de forma irregular e que a prioridade, neste momento, é cumprir essa ordem judicial para garantir o direito dos proprietários.

Rebeca Lima
[email protected]

Imprimir