Cidadeverde.com
Geral

Operação Contraordem III termina com 16 prisões e apreensões de armas e drogas

Imprimir
  • operação-14.jpg Roberta Aline / cidadeverde
  • operação-13.jpg Roberta Aline / cidadeverde
  • operação-12.jpg Roberta Aline / cidadeverde
  • operação-11.jpg Roberta Aline / cidadeverde
  • operação-10.jpg Roberta Aline / cidadeverde
  • operação-9.jpg Roberta Aline / cidadeverde
  • operação-8.jpg Roberta Aline / cidadeverde
  • operação-7.jpg Roberta Aline / cidadeverde
  • operação-6.jpg Roberta Aline / cidadeverde
  • operação-5.jpg Roberta Aline / cidadeverde
  • operação-4.jpg Roberta Aline / cidadeverde
  • operação-3.jpg Roberta Aline / cidadeverde
  • operação-2.jpg Roberta Aline / cidadeverde
  • operação.jpg Roberta Aline / cidadeverde

 

A terceira fase da operação Contraordem, deflagrada nesta terça feira (10) pelo Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) terminou com 16 prisões, sete delas de pessoas que já estavam no sistema prisional. Os mandados foram cumpridos nos estados do Piauí e Mato Grosso do Sul e tinham como alvos membros da organização criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital).

Entre os presos, está o funcionário de uma empresa que atua na limpeza pública de Teresina, que estava fardado. De acordo com a Polícia, o mandado de prisão foi cumprido no momento em que ele saia para trabalhar.

Uma mulher, considerada uma das coordenadoras da facção criminosa em Teresina, também foi presa no Parque Brasil, na zona norte. Segundo a Polícia, ela é responsável pela captação de novos membros e também pela gestão das ações do grupo. 

De acordo com o delegado Yan Brayner, do Greco, a organização criminosa investigada atua principalmente nos crimes de roubo, tráfico de drogas e homicídios.

"É uma operação que visa o combate a uma organização criminosa violenta em todo o estado do Piauí, inclusive fora do Estado. É um trabalho que se dá de forma continuada, no intuito de diminuir os índices de violência do nosso estado", explicou o delegado.

Ainda de acordo com o delegado, além das prisões, armas e drogas foram apreendidas durante o cumprimento dos mandados. O material ainda está sendo contabilizado pelas equipes.

Ao todo, eram 24 mandados de prisão. Os oito alvos que não foram localizados passam a ser considerados foragidos da justiça.

Ao avaliar o balanço da operação Contraordem III, o delegado geral Luccy Keiko destacou que o foco da Polícia Civil nos últimos meses tem sido desarticular o núcleo das organizações criminosas que atuam no estado do Piauí. O delegado ainda avalia que as operações tem gerado redução nos índices de crime, como homicídios.

"O objetivo é trabalhar de forma integrada, com o MP e as demais delegacias, no sentido de esclarecer essas mortes, mas também já fazer esse trabalho de prevenção e repressão contra essas organizações criminosas. O fato de indíviduos se reunirem de maneira estável para cometerem crimes já configura esse ilícito penal , de organização criminosa. Esse foi o motivo da operação", destacou Luccy Keiko.

A operação

Equipes do Grupo de Repressão ao Crime Organizado ( GRECO)  deflagraram na manhã desta terça-feira(10) a operação Contraordem III para cumprir 24 mandados de prisão, nos estados do Piauí e Mato Grosso do Sul. As diligências acontecem em Teresina, Floriano, Castelo e Campo Grande, no MS.

A investigação tem como objetivo reprimir ações de organização criminosa de abrangência nacional que conta com integrantes agindo nas cidades onde são cumpridos os mandados, além de outros que já se encontram presos no sistema prisional piauiense. 

As ações foram desenvolvidas com apoio operacional da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais - Core, DHPP, Depre, Polinter, GPE, Dinte-SSP, Dinte-Sejus, Delegacia Regional de Floriano, Castelo e unidade Garras, da Polícia Civil do Mato Grosso do Sul e Ministério Público do Estado do Piauí.

 

 

Natanael Souza
[email protected]

Imprimir