Cidadeverde.com
Geral

Associação dos Diabéticos cobra vacinação para adolescentes com comorbidades

Imprimir

Foto: Roberta Aline

A Associação dos Diabéticos do Piauí - Adip pediu para ingressar na ação civil pública movida pelo Ministério Público do Estado do Piauí para que a Fundação Municipal de Saúde assegure a prioridade dos adolescentes com comorbidades.

Semana passada, o Ministério Público ajuizou ação para manter apenas a vacinação por faixas etárias, tirando da prioridade todas as pessoas que não estejam incluídas no Plano Nacional de Vacinação contra Covid-19.

A Adip afirma concordar com o pedido do MP, desde que respeitada a prioridade das pessoas com comorbidades e deficiências, em especial os adolescentes (de 12 a 17 anos). A associação lembra que a Lei nº 11.490, de 29 de julho, determinou a inclusão dos adolescentes com comorbidades e deficiências nos grupos prioritários do Plano Nacional de Vacinação.

A Presidente da Adip, Jeane Melo, diz que os adolescentes diabéticos não podem esperar que todos os adultos sejam vacinados, inclusive os não prioritários. "A lei federal deve ser cumprida por todos os municípios e pelo Ministério da Saúde. Se for proibido vacinar adolescentes, então os municípios que já vacinaram todos os adultos vão ter que guardar as vacinas?", indaga Jeane.

Paulo Gustavo, pai de Lucas, 14 anos, ressalta que o filho, assim como todos adolescentes com Transtorno de Espectro Autista (TEA), estão mais sucessíveis a ter complicações da Covid-19.
"Além do sofrimento com o isolamento social, os autistas também estão sujeitos a maior risco de infecção e de agravamento da inflamação. Em Teresina, foram vacinadas 6.000 pessoas com deficiência e 6.000 trabalhadores industriais. Dizem que não há vacinas para os adolescentes prioritários, mas 20% das vacinas foram destinadas a grupos que não fazem parte do Plano Nacional de Vacinação", reclama. 

A FMS afirma que o Ministério da Saúde não autorizou a vacinação de adolescentes e que também não há doses para o público. Em 11 de junho, a Anvisa aprovou o imunizante da Pfizer para aplicação para maiores de 12 anos. 

No mês passado, o Secretário Estadual de Saúde, Florentino Neto, afirmou que a cota de 30% das vacinas reservada para pessoas com comorbidades deveria ser aplicada também em adolescentes. Os municípios de Isaías Coelho, Amarante e Campinas do Piauí, além de 9 capitais, já estão vacinando adolescentes, inclusive sem comorbidades. 


Izabella Pimentel 
[email protected]

Imprimir