Cidadeverde.com
Geral

Instituições unem força para coibir aglomerações na zona Leste de Teresina

Imprimir
  • MP-26.jpg Roberta Aline / cidadeverde
  • MP-25.jpg Roberta Aline / cidadeverde
  • MP-24.jpg Roberta Aline / cidadeverde
  • MP-23.jpg Roberta Aline / cidadeverde
  • MP-22.jpg Roberta Aline / cidadeverde
  • MP-21.jpg Roberta Aline / cidadeverde
  • MP-20.jpg Roberta Aline / cidadeverde
  • MP-19.jpg Roberta Aline / cidadeverde
  • MP-18.jpg Roberta Aline / cidadeverde
  • MP-17.jpg Roberta Aline / cidadeverde
  • MP-8.jpg Roberta Aline / cidadeverde
  • MP-7.jpg Roberta Aline / cidadeverde
  • MP-6.jpg Roberta Aline / cidadeverde
  • MP-5.jpg Roberta Aline / cidadeverde
  • MP-4.jpg Roberta Aline / cidadeverde
  • MP-3.jpg Roberta Aline / cidadeverde
  • MP-2.jpg Roberta Aline / cidadeverde
  • MP.jpg Roberta Aline / cidadeverde

A aglomeração de pessoas, principalmente na zona Leste de Teresina, será um dos focos das autoridades policiais e de vigilância sanitária. Nesta sexta-feira (3), o Ministério Público do Piauí (MP-PI) cobrou ações efetivas para coibir festas clandestinas e eventos que desrespeitem o decreto estadual. 

Uma audiência pública foi realizada com representantes da Vigilância Sanitária do estado e município, Corpo de Bombeiros e Polícia Militar. O encontro discutiu os problemas e as ações que devem ser efetivadas. 

O titular da 29º Promotoria de Justiça de Teresina, Eny Pontes, destacou que outros órgãos precisam cumprir o seu papel, integrando com as discussões e que as atuações da Vigilância Sanitária devem ser respeitadas. 

"Nós insistimos que o poder de polícia da Vigilância Sanitária precisa ser cumprido fielmente, mas não basta só isso, outros órgãos do estado e do município precisam fazer o seu papel e é por isso que nós exigimos que esses órgãos também integrem essa discussão e será realizada uma nova discussão, mais ampla, para fazer valer o que consta na lei”, explica o titular. 

Ainda segundo o promotor Eny Pontes, em primeiro momento o Ministro Público está tomando conhecimento das dificuldades que os órgãos de fiscalização estão enfrentando diante do descumprimento dos estabelecimentos.

"Em primeiro lugar escutamos os órgãos envolvidos, Vigilância Sanitária e forças de segurança, para saber o que realmente está acontecendo e quais são as dificuldades que ainda persistem nesse momento”, destaca o promotor. 

A diretora da Vigilância Sanitária do Piauí, Tatiana Chaves ressaltou que apesar do decreto estadual liberar o funcionamento de bares e restaurantes, o segmento empresarial deve cumprir as medidas de segurança.  

“Estamos agindo no sentido de coibir essas grandes aglomerações. Sabemos que o decreto permite a flexibilização, mas deve ser dentro dos limites porque o que vemos hoje é festas de 1500, 2000 pessoas com bandas provocando danos a saúde da população. A população e todo o segmento empresarial entendem que tem que privilegiar a vida como mais importante e a partir disso ter a flexibilização, mas com o cumprimento de medidas”, reforça a diretora.

Aumento de casos da Covid em Teresina

Nesta semana, integrantes do Centro de Operações Emergenciais (COE) fizeram um alerta sobre o aumento de casos da Covid-19 em Teresina. Segundo o boletim epidemiológico, os números confirmados subiram 34%, a positividade dos testes RT-PCR, que indicam a contaminação do vírus, também aumentou de 11% para 23% e a demanda por eles chegou a 116% de uma semana para outra.

Os dadosda 34ª Semana Epidemiológica, correspondente a semana do dia 22 a 28 de agosto, mostrou ainda no intervalo de sete dias, um aumento em 17% das internações por Covid-19.

O COE também relatou que o índice que detecta a transmissibilidade do vírus da Covid subiu para mais de 1%. Segundo o Centro de Operações Emergenciais, o ideal é que esse valor esteja abaixo de 1%.

 

Rebeca Lima
[email protected]

Imprimir