Cidadeverde.com
Esporte

Corinthians encara Bahia e revê 'bando de loucos' após um ano e sete meses

Imprimir

Um ano, sete meses e oito dias após jogar pela última vez com público na Neo Química Arena, em Itaquera, o Corinthians voltará a ter nesta terça (5) o apoio presencial de seus torcedores na partida contra o Bahia, às 21h30, pelo Campeonato Brasileiro -na TV, o jogo será exibido pelo Premiere.

O duelo será o primeiro do Nacional em São Paulo após a liberação para a volta do público, oficialmente em vigor desde segunda (4), conforme anúncio do governador João Doria (PSDB) em meio à retomada das atividades após o auge da pandemia de Covid-19.

Haverá, enfim, contato da torcida com os reforços recentemente contratados pela equipe alvinegra: Giuliano, Renato Augusto, Róger Guedes e Willian. Este último, inclusive, era dúvida, por ter sentido dores na coxa esquerda no último jogo, mas foi liberado pelo departamento médico.

Assim, o Corinthians deverá rever seu torcedor com a seguinte formação: Cássio; Fagner, João Victor, Gil e Fábio Santos; Cantillo, Renato Augusto e Giuliano; Willian, Gabriel Pereira e Róger Guedes.

O encontro representa um respiro para a diretoria, que administra uma dívida próxima de R$ 1 bilhão -sem contar o restante do financiamento do próprio estádio, cerca de R$ 570 milhões- e voltará a ter receitas de bilheteria. Diante do Bahia, em um retorno gradual, são esperados cerca de 14 mil espectadores.

Os alvinegros, que gostam de se referir a si mesmos como "bando de loucos", não ocupam as cadeiras da arena da zona leste paulistana desde 26 de fevereiro de 2020. Na ocasião, houve empate por 1 a 1 dos donos da casa com o Santo André, pelo Campeonato Paulista.

Sem o apoio das arquibancadas, além do prejuízo financeiro, o Corinthians viu cair seu desempenho como mandante. Da inauguração de sua nova casa, em 2014, até o veto ao público na pandemia, em 2020, o time conquistou 70,7% dos pontos que disputou em Itaquera, em 199 jogos. 

Com os assentos vazios, o aproveitamento despencou para 51,8% em 47 jogos.

Nesse cenário, os fracassos foram se acumulando. Na atual temporada, a equipe não foi além da semifinal no Paulista, caiu na fase de grupos da Copa Sul-Americana e foi eliminada na terceira fase da Copa do Brasil. 

Antes do início do Brasileiro, trocou de treinador -saiu Vagner Mancini, chegou Sylvinho-, mas só reagiu mesmo após a contratação dos reforços citados.

A fase atual é positiva. São nove jogos sem perder no Nacional. Com 34 pontos, o Corinthians está em sexto e pode terminar a noite desta terça em quarto em caso de vitória sobre o Bahia, pois está a dois pontos do Fortaleza, dono da posição neste momento.

A torcida alvinegra tem demonstrado empolgação com o time nas redes sociais, que viraram uma espécie de arquibancada virtual.

O reencontro com o clube, contudo, será gradual. Até o dia 14 de outubro, os estádios paulistas poderão receber até 30% da capacidade. Na sequência, o limite será de 50%. A liberação total está prevista para 1º de novembro.

O torcedor que vai à Neo Química Arena deverá apresentar comprovante de vacinação contra o coronavírus, com duas doses de Coronavac, Pfizer ou AstraZeneca, ou a dose única da Janssen.

Quem ainda não tiver concluído o esquema vacinal deverá ter tomado ao menos uma dose e apresentar um teste negativo de Covid-19 -com validade de 48 horas para os do tipo PCR ou 24 horas para os de antígeno. O uso de máscara é obrigatório em todos os setores do estádio.

Os ingressos colocados à venda foram comercializados exclusivamente pela internet. Os bilhetes mais baratos, nos setores norte e sul, custaram R$ 40. No setor Business, o valor chegou a R$ 650. Conforme recomendação da CBF, não haverá recepção aos torcedores da equipe adversária.

Fonte: Folhapress

Imprimir