Cidadeverde.com
Esporte

"Ainda tenho medo de fazer ginástica", desabafa Biles após episódio nas Olimpíadas de Tóquio

Imprimir

Foto: Diego Padgurschi/Folhapress

Simone Biles desabafou ao falar sobre os problemas de saúde mental que vem sofrendo desde as Olimpíadas de Tóquio-2020. A ginasta disse que ainda não se sente totalmente segura para retomar as competições - ela ficou de fora também da disputa do Mundial da modalidade, que está sendo realizado no Japão.

"Não ser capaz de fazer algo que eu sempre fiz é realmente louco. Eu amo muito esse esporte. É difícil. Acho que as pessoas não entendem a magnitude do que estou passando", disse Biles, em entrevista ao programa Today, da emissora norte-americana NBC, em edição exibida nesta quinta-feira (21).

Biles vem sofrendo de "twisties" desde os Jogos Olímpicos. Trata-se de um fenômeno que causa a perda da noção de espaço -uma espécie de bloqueio que causa uma falta de "sintonia" entre corpo e mente. Em resumo, a ginasta não consegue realizar os movimentos que está acostumada a fazer em situações normais.

Por conta do problema, Simone Biles desistiu de quatro finais olímpicas em Tóquio -individual geral, salto e barras assimétricas, salto e solo. Posteriormente, ela disputou a final da trave e ficou com a medalha de bronze.

Atualmente, Biles é uma das porta-vozes no processo judicial contra Larry Nasser, ex-médico da seleção dos Estados Unidos de ginástica artística, acusado de abusos físicos, sexuais e morais por mais de 250 mulheres e meninas.

Em setembro, Simone Biles depôs no Senado dos EUA sobre erros do FBI no processo. "Passar por algo assim e ser uma voz para todos os sobreviventes e pessoas que querem se apresentar e falar sobre suas histórias, é realmente inspirador", disse. "Mas é difícil que eu tenha que passar por isso, porque novamente as pessoas formam suas próprias opiniões e eu realmente não posso dizer o que está acontecendo", finalizou.

Fonte: Folhapress

Imprimir