Cidadeverde.com
Vida Saudável

Mioma uterino é câncer? Ginecologista tira dúvidas sobre tipos de tratamento

Imprimir

 

O mioma uterino é um tipo de tumor benigno que surge entre mulheres de 30 e 50 anos. Na maioria das vezes, ele não costuma trazer perigos à saúde da mulher e pode causar sintomas como cólicas e sangramento fora do período menstrual, mas se junto a esses sintomas surgirem dores durante a relação sexual ou urgência em urinar, é sinal de alerta.

No quadro 'Cuidar Acima de Tudo', do 'Vida Saudável' deste sábado (23), a ginecologista Keliany Duarte explicou que o mioma uterino não é um câncer e que a maioria é descoberto durante exames de rotina.

"Ainda não há uma causa específica para o surgimento dos miomas, mas o que sabe é sobre a predisposição genética, ou seja, um histórico familiar. Ele afeta até 80% das mulheres e a maioria delas possuem miomas assintomáticos e só descobrem em exames de rotina. Além disso, os miomas só podem ser retirados se a paciente se queixar, caso contrário não é necessário", disse a especialista.
 

Foto: Reprodução/Vida Saudável

Diagnóstico do mioma uterino é realizado através do exame físico



TIPOS DE MIOMA E SINTOMAS

De acordo com Keliany Duarte, o mioma pode ter vários tamanhos e aparecer em diferentes locais do útero: na cavidade, na parede ou fora. "Os tipos de mioma dependem da localização dentro do útero. O útero é um músculo e ele tem a cavidade: a parte de de dentro, a parede muscular e a parte de fora. Existem miomas, dependendo da localização, ele tem uma classificação", explicou a médica.


- SUBSEROSO (localizado na parte externa do útero): geralmente causa menos sintomas;
- INTRAMURAL (localizado na parede do útero): causa mais sintomas como aumento de sangramento e cólicas, por exemplo;
- SUBMUCOSO (localizado na parte interna, na cavidade do útero): dependendo do tamanho, pode dificultar a gravidez ou risco de aborto;

 



DIAGNÓSTICO

Ainda segundo a ginecologista, o diagnóstico pode ser realizado através do exame físico, mas ele é baseado nos sintomas como sangramento menstrual intenso, cólicas, ou até anemia.

"Geralmente as pacientes sintomaticas sangram muito. É uma paciente que tem muita cólica quando vai menstruar, ela sangra de 7 a 9 dias e isso pode dificultar as atividades cotidianas. É uma mulher que perde o dia de trabalho, ou que não consegue ir para a escola ou faculdade, por conta do fluxo. Dependendo da localização, ela tem um pouco mais de cólica também", esclareceu Keliany.

 

 

Da Redação
[email protected]

Imprimir