Cidadeverde.com
Vida Saudável

Exercício físico traz benefícios no combate às sequelas da Covid

Imprimir

Foto: Freepik



Praticar atividade física regularmente traz inúmeros benefícios para o corpo e mente, além disso previne doenças e melhora o sistema imunológico. Com a Covid-19 não seria diferente e pesquisas comprovam que o aumento da capacidade aeróbica é essencial na recuperação de infecções causadas pelo coronavírus.
 
Um artigo publicado na Diabetes & Metabolic Syndrome: Clinical Research & Reviews sugere que a prática de exercícios aeróbicos traz melhorias para os sistemas imunológico e respiratório. “A Covid afeta os sistemas do organismo como o pulmonar, cardiovascular e cerebral, refletindo diretamente no imunológico. Por isso, o exercício físico tem papel fundamental na melhoria da imunidade”, explica o educador físico, Daniel Xavier.
 
Ainda de acordo com esse estudo, o aumento da atividade aeróbica já traz benefícios a curto prazo. “Em primeiro lugar, influencia na imunidade e diminui ansiedade e depressão. Em segundo, melhora o sistema respiratório e em terceiro pode atuar na prevenção da Covid-19, diminuindo os riscos do agravamento da doença”, reforça o profissional.
 
Para o educador físico, a atividade física é essencial na recuperação das sequelas causadas pelo coronavírus e a atividade a ser realizada depende das particularidades de cada indivíduo e do impacto da doença no organismo. “Após o médico detectar a sequela, é importante que o profissional de educação física faça uma avaliação para que seja prescrito o exercício correto para o caso. Por exemplo, se o dano for no sistema pulmonar, o foco será em exercícios aeróbicos leves ou moderados”, destaca Daniel.
 
Ele ressalta também que mesmo sendo importante na recuperação da Covid, a atividade física após a contaminação deve ser praticada de forma gradual, respeitando os limites do paciente.

Novas diretrizes sobre atividade física da OMS
 
Para alertar sobre a importância de ter uma vida mais ativa, a Organização Mundial de Saúde (OMS) lançou no final de 2020 novas diretrizes sobre a prática de atividade física. As orientações surgiram com o foco de que todo movimento conta, principalmente, durante uma pandemia, quando é necessário ficar mais tempo em casa. “As novas instruções trazem a necessidade de 150 a 300 minutos de atividades semanais para adultos, o que equivale à 50 a 100 minutos por sessão. Já para crianças e adolescentes, a recomendação é que pratiquem em média 60 minutos por dia”, relata o educador físico da Humana Saúde.
 
Levantamentos da OMS mostram que um em cada quatro adultos e quatro em cada cinco adolescentes não realizam atividades físicas suficientes. Mas, buscar orientação também é fundamental para começar a se exercitar. “O primeiro passo é uma avaliação médica e em seguida uma avaliação física com o profissional de educação física, a partir daí serão traçados parâmetros como intensidade e volume de treino, quais exercícios serão prescritos e outras variáveis”, esclarece Daniel.
 
Ele frisa ainda que toda atividade física traz benefícios, mas algumas podem ser mais completas. “Podemos considerar a musculação um exercício completo, pois nela conseguimos trabalhar diversas variáveis e diversos métodos de treinamento que implicam tanto na saúde cardiorrespiratória quanto na saúde dos ossos, músculos e articulações”, enfatiza o educador físico.
 
Daniel conclui que o importante é se movimentar. “Buscar uma atividade que proporcione prazer traz benefícios físicos e mentais. O importante é que todos tenham uma vida mais ativa”, finaliza.


Da Redação
[email protected]

Imprimir