Cidadeverde.com
Últimas

Consórcios estão descumprindo ordem judicial que ordenou circulação de 70% da frota, diz Strans

Imprimir

Foto: Roberta Aline / Cidadeverde.com

Consórcios do transporte coletivo em Teresina não estão cumprindo com a determinação judicial que ordenou a circulação de 70% da frota em horário de pico e 30% no entrepico, durante a greve dos motoristas e cobradores dos coletivos em Teresina.

Segundo informou ao Cidadeverde.com o gerente de Planejamento da Strans, Felipe Leal, a superintendência têm fiscalizado a circulação dos veículos, feito um relatório ao final do dia e encaminhado à Procuradoria Geral Municipal (PGM) de Teresina para que sejam tomadas as medidas cabíveis.

O gerente da Strans afirmou que não dá para elencar os consórcios que têm descumprido com a determinação judicial, mas destacou que o descumprimento varia de acordo com o dia.

"Todos os dias há descumprimento da liminar. Em um dia é um consórcio A, no outro B. Não tem como determinar um. Mas estamos reunindo todas as informações e enviando para a PGM", frisou Leal à nossa reportagem.

Atualmente, 137 veículos estão dando suporte aos usuários do transporte coletivo em Teresina.  A Ordem de Serviço da Strans prevê a circulação de uma frota de 140 ônibus nos horários de pico e 60 ônibus no entrepico.

Além disso, o órgão garante  a circulação de 250 veículos cadastrados para suprir a necessidade dos usuários.

GPS NOS COLETIVOS

A Strans determinou que o Setut coloque ônibus com GPS nas ruas. O gerente de Planejamento do órgão, Felipe Leal, explicou à nossa reportagem que a maioria da frota tem GPS, mas boa parte continua sem.

"A determinação é para que nós possamos fiscalizar com mais precisão a quantidade de veículos que estão circulando nas ruas de Teresina. Dessa forma, conseguiremos dizer em tempo real quantos carros estão transitando", frisou o gerente da Strans.

Foto: Roberta Aline / Cidadeverde.com

GREVE DURA 5 DIAS 

A greve no sistema de transporte coletivo de Teresina já dura cinco dias na cidade. De acordo com o presidente do Sintetro, Ajuri Dias, a greve só deverá ser encerrada com a assinatura da convenção coletiva. "

Na convenção coletiva, os trabalhadores defendem o salário no valor de R$ 2.039,00 para os motoristas e R$ 1.288,00 para os cobradores. Além disso, reivindicam também a volta do ticket alimentação, plano de saúde e a jornada de trabalho de 7h20.

DECRETO DE CALAMIDADE 

O prefeito de Teresina, Dr. Pessoa (MDB) assinou o decreto de calamidade pública no transporte urbano da capital por um período de 180 dias. Com o decreto, a Strans fica autorizada a adotar medidas visando a contratação emergencial de empresas para gerirem o transporte na capital.

Leia mais: Prefeito assina decreto de calamidade no transporte coletivo por período de 180 dias

Nataniel Lima
[email protected]

Imprimir