Cidadeverde.com
Esporte

Sem pressão da classificação, Tite vai trabalhar na solidez da seleção brasileira

Imprimir

Com a classificação da seleção brasileira para a Copa do Mundo do Catar definida matematicamente, o técnico Tite, agora, vai procurar solidificar a equipe. Ele vai aproveitar tanto o jogo com a Argentina, como os restantes nas Eliminatórias - e os amistosos que serão marcados em 2022 - para aprimorar o time e deixá-lo pronto para lutar pelo hexacampeonato mundial.

Foto - Lucas Figueiredo - CBF

"Ter solidez, ter criação e ter gol. E vitória. Isso é excelência. Criação e fazer gol, solidez defensiva e vitória", disse Tite na quinta-feira à noite, depois da vitória por 1 a 0 sobre a Colômbia que classificou o Brasil. "É isso que nos move. Temos que chegar o mais próximo disso possível."

Essa excelência para por aprimoramentos como o entrosamento de Neymar com Lucas Paquetá. Contra a Colômbia, mais uma vez ele se mostrou presente, no lance do gol da vitória, quando o atacante do PSG percebeu a infiltração do meia que joga no Lyon e, com um toque sutil, o deixou em condição de concluir a jogada.

Tite destacou esse entendimento entre os dois. "As percepções deles nas jogadas curtas, de tabela... São jogadores que acompanham o raciocínio. O Neymar, quando o Marquinhos toca para ele, deixa o Paquetá na cara", ressaltou o treinador, acrescentando. "Foi uma finalização muito difícil."

Tite assumiu a seleção em 2016, em sexto lugar nas Eliminatórias, levou a equipe à Copa do Mundo mas, na Rússia, não passou das quartas de final. Por isso, ele sente um prazer especial com o ciclo que vai se encerrar no Catar, pois ele pôde fazer o trabalho desde o início.

"A única coisa que me move é fazer um ciclo inteiro, coisa que na última oportunidade não foi feito. Foi isso que me moveu. Eu não me ofereci para a seleção, trabalhei para chegar. 

Eu peguei na metade de um processo, fomos até o final, vocês sabem a história, fui convidado depois de novo para um processo inteiro. Tal qual fiz no Grêmio, Corinthians, Caxias... Aí pensei, pensei, poxa, talvez essa minha trajetória profissional me permita fazer um período inteiro. É isso que me move", afirmou.

O treinador alcançou sua 50ª vitória na seleção brasileira, número significativo. Tite, porém, disse não ser apegado a marcas. "Eu não sou muito afeito a números. Claro que ele é legal, que o reconhecimento é bom. 

Mas eu falo isso de coração. A minha maior alegria é dividir alegria. Quando eu olho para a comissão técnica, o pessoal que trabalha no dia a dia, é impagável", assegurou.

A seleção brasileira folga nesta sexta-feira e no sábado à tarde faz o primeiro dos três treinos na Academia do Palmeiras, preparatórios para o jogo com a Argentina, terça-feira, em San Juan.

Fonte: Estadão Conteúdo

 

Imprimir