Cidadeverde.com
Entretenimento

Morte de MC Kevin foi acidental, diz Polícia do Rio ao concluir investigação

Imprimir

Foto: Reprodução/Instagram

A Polícia do Rio concluiu que a morte do funkeiro Kevin Nascimento Bueno, o MC Kevin, foi um acidente. Em nota, a 16ª Delegacia Policial (Barra da Tijuca), responsável pelas investigações, informou que vai sugerir à Justiça o arquivamento do inquérito "por falta de elementos que caracterizem crime".

MC Kevin morreu aos 23 anos após cair do 5º andar de um hotel na orla da Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio, na noite do dia 16 de maio. Segundo as investigações da polícia, o cantor tentou sair do quarto onde estava pulando a varanda para alcançar o andar inferior, mas perdeu o apoio, se desequilibrou e caiu. "Fato trágico, porém atípico, sem previsão legal penal para os envolvidos", diz o comunicado da corporação.

"Em novos depoimentos, as testemunhas não acrescentaram informações relevantes ou contraditórias às que já se haviam sido apuradas", completa a nota.

Conhecido por sucessos como "Cavalo de Troia", "Favelado Vencedor" e "O Menino Encantou a Quebrada", Kevin contava com 8,6 milhões de seguidores no instagram e 537 mil no YouTube. O artista, nascido na Vila Ede, bairro da zona norte de São Paulo, tinha feito várias parcerias com outros artistas do gênero como MC Guimê e Igu.

Kevin não era conhecido apenas por seu trabalho artístico, mas também por se envolver em confusões. Em janeiro deste ano, ele virou um dos assuntos mais comentados nas redes sociais após fazer uma série de vídeos no Instagram minimizando situações de assédio.

Ele foi muito criticado ao insinuar que a culpa é das mulheres pelos comentários ofensivos masculinos em fotos sensuais. "Fica tudo de bundinha para fora nos Stories do Instagram, e é claro que vai ter homem que vai elogiar, sim, porque se vocês fazem isso é para elogiar. Agora não é porque fez um elogio, um bagulho que é machista ou 'Ai, você é ridículo'. Aí não dá", afirmou à época.

Em seguida, ele sugeriu que as mulheres postem imagens na igreja. "Então, para de postar fotinho de bumbum para o alto. Começa a postar foto de igreja com Bíblia na mão, com aquelas roupas de freira, faça isso. Agora não vem falar que qualquer homem é machista ", disse.

Já em maio de 2020, no auge da pandemida do coronavírus, Kevin, se envolveu em mais uma polêmica, após furar o isolamento social. Dessa vez, ele trocou farpas com a também funkeira Lady Chokey, que acabou acusando o músico de homofobia e disse que tomaria medidas cabíveis contra ele.

No início da semana anterior ao fato, Kevin confirmou que teve resultado positivo para Covid-19 e se desculpou por não manter o isolamento social. "Errei, errei mais feio ainda por não ter contido esse meu desejo de liberdade, natural em qualquer jovem da minha idade e expor as pessoas a minha volta", afirmou.

A atitude do funkeiro foi criticada por Lady Chokey, que o chamou de "moleque", e o acusou de homofobia por se referir a ela no masculino. "Não é porque você é amigo de Matheus Mazzafera que você deixa de ser homofóbico, transfóbico. Isso é um discurso totalmente ridículo, passado, batido."

 

Fonte: Folhapress

Imprimir