Cidadeverde.com
Política

Pastore descarta ser ministro em eventual governo de Sergio Moro

Imprimir

Foto: Pedro França/Agência Senado

Responsável pela formulação do programa econômico do ex-juiz Sergio Moro (Podemos), o economista Affonso Celso Pastore, 82, afirma que o chamado presidencialismo de coalizão no Brasil tornou-se "presidencialismo de cooptação".

Em audiência pública no Congresso na quinta (18), Pastore acusou parlamentares de praticarem "clientelismo politico de péssima qualidade" ao inserirem na PEC dos Precatórios, criada para viabilizar o Auxílio Brasil, verbas de emendas para deputados. "Criou-se um cavalo de Tróia para invadir Tróia", afirma.

O economista prevê um ano eleitoral recessivo e diz que não será ministro em um eventual governo Moro. "Estou tentando envelhecer com dignidade. Posso trabalhar 24 horas por dia, mas estou fora de funções executivas."

Ele afirma não ter conversado com Moro sobre eventuais nomes para a função.

Folhapess

Imprimir