Cidadeverde.com
Vida Saudável

Especialista tira dúvidas sobre parasitoses; saiba como evitar

Imprimir

 

 

As parasitoses, também chamada de verminoses, são problemas de saúde pública. Elas são mais frequentes na infância, mas também podem acometer adultos. Segundo estudos, é a doença mais comum no mundo, atingindo quase 25% da população, afetando 1 em cada 4 pessoas.

No programa ‘Vida Saudável’ deste sábado (27), a gastroenterologista Joice Maranhão explicou mais sobre essa doença. Segundo ela, os parasitas tem predileção pelo intestino, mas isso não impede que eles ataquem outros órgãos.

“Os parasitas podem acometer não só o intestino, mas outros órgãos como o cérebro, fígado e até mesmo o pulmão. É importante ficar atento a sua transmissão, pois depende muito das condições sanitárias e de higiene das comunidades”, explicou a especialista.
 

 

Ainda de acordo com Joice Maranhão, a principal forma de transmissão das parasitoses acontece por ingestão de alimentos ou água contaminados. Ela também faz um alerta para quem gosta de andar descalço na rua.

“A forma de contaminação dos parasitas se dá mais pela região oral. Pela contaminação de alimentos, pela água ou pela pele lesionada quando a pessoa vai tomar um banho de rio ou piscina. Os riscos também aumentam quando se anda descalço na rua. O contato com as fezes contaminadas de animais, por exemplo, pode penetrar na pele", falou.


Pets podem ser portadores de parasitas

Os vermes são parasitas comuns em cachorros e gatos, por isso a especialista alerta para os cuidados com a saúde dos animais.

"Não só os seres humanos, mas os animais também são portadores de parasitas. Da mesa forma que a gente pode se contaminar através das fezes humanas, as fezes dos animais também podem podem afetar, principalmente cães e gatos. Então, é importante sempre estar tratando os pets, cuidando da saúde deles”, contou Joice.


Como evitar

“É fundamental que a gente tenha uma higiene correta, principalmente quando estiver manuseando os alimentos crus. Ótimas alternativas para se evitar a contaminação é lavar e cozinhar bem os alimentos, andar sempre calçado e evitar ter contato com terra ou lama", finalizou a gastroenterologista.




Da Redação
[email protected]

Imprimir