Cidadeverde.com
Geral

Suspeito de assassinar prefeito de Madeiro é preso e confessa o crime

Imprimir
  • felipe_seias_(7).jpg Roberta Aline
  • felipe_seias_(6).jpg Roberta Aline
  • felipe_seias_(5).jpg Roberta Aline
  • felipe_seias_(4).jpg Roberta Aline
  • felipe_seias_(3).jpg Roberta Aline
  • felipe_seias_(2).jpg Roberta Aline
  • felipe_seias_(1).jpg Roberta Aline

Felipe Anderson Seixas de Araújo, suspeito de assassinar o prefeito de Madeiro, Zé Filho (Progressistas), foi preso na manhã desta sexta-feira (03) em Teresina. O suspeito, que é afilhado e ex-aliado político do gestor morto no último domingo, se apresentou acompanhado por um advogado no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que deu cumprimento ao mandado de prisão temporária que estava em aberto contra ele. 

De acordo com o delegado Bruno Ursulino, responsável pelas investigações, Felipe Seixas confessou o crime à polícia, mas negou que a ação tenha sido premeditada. O prefeito de Madeiro foi assasinado no momento em que deixava o local onde era realizada uma partida de futebol. 

“Ele afirma que estava lá, teria ido para participar daquele momento, que estava bebendo, e que somente quando viu o prefeito é que veio o desejo de tirar a vida dele. No entanto, a gente não acredita nisso, porque temos diversas informações que comprovam que ele ficou bem próximo do carro do prefeito e que aguardou o momento que o prefeito se dirigiu até o veículo para ir embora para efetuar os disparos que tiraram a vida dele”, destacou o delegado.

Após prestar depoimento no DHPP, Felipe Seixas foi encaminhado para a realização dos procedimentos legais e deve ficar à disposição do Poder Judiciário. 

Motivação 

O delegado Bruno Ursulino informou ao Cidadeverde.com que o suspeito cometeu o crime porque ele e seu pai estavam sendo perseguidos pelo prefeito de Madeiros. O suspeito afirmou ainda que a vítima estaria o acusando de ter um caso com a madrasta. 

"Ele disse que a vítima chamava o pai dele de ladrão, desonesto e que isso o fez nutrir um ódio contra o prefeito de Madeiro. Na gestão anterior, o pai do suspeito era responsável pela parte de transportes e o gerenciamento de combustíveis lá na prefeitura", explicou o delegado Ursulino. 

Durante o depoimento, o delegado destacou ainda que ele não demonstrou arrependimento. 

"O que a gente percebe nele é que ,após ele ver toda a repercussão e tudo que ele vai ter que responder, ele vê que foi uma conduta extremamente grave e reprovável", completou o delegado. 

Em depoimento, o suspeito afirmou que estava sendo perseguido pelo prefeito Zé Filho.  a real motivação do crime ainda está sendo investigada pela Polícia Civil. 

Veja mais: 

Assassinato do prefeito de Madeiro teria sido motivado por exonerações, diz delegado

Tio revela que prefeito assassinado sofria “pressões” e falava em renunciar ao cargo

Vice chora em discurso ao assumir prefeitura no lugar do prefeito assassinado a tiros

A fuga

Em depoimento, Felipe Seixas também contou detalhes sobre a fuga. Após comerter o crime, o suspeito relatou que após o crime se escondeu em uma região da zona rural de Madeiro e que durante a madrugada pegou carona com um caminhoneiro em direção ao estado do Maranhão. Posteriormente, o suspeito contou que se deslocou para Teresina, também pegando carona com um outro caminhoneiro. 

A apresentação foi acordada entre o advogado de defesa e a equipe do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa( DHPP). 

Foto: Reprodução/Instagram

Felipe Seixas 

O crime

O prefeito de Madeiro foi assassinado a tiros no fim da tarde deste domingo (28) durante um torneio de futebol na cidade. O principal suspeito, segundo testemunhas oculares relataram à Polícia Civil, é Felipe Seixas. 

O prefeito foi levado com vida ao hospital de Luzilândia, que fica a cerca de 26 km de Madeiro, mas não resistiu. 

Nataniel Lima
[email protected]

Imprimir