Cidadeverde.com
Vida Saudável

Pesquisa mostra que ser autoconfiante mantém a saúde mais equilibrada; confira dicas

Imprimir


Foto: Pixabay




Não é novidade que ter uma boa autoestima é fundamental para ser uma pessoa feliz e realizada, tanto no trabalho quanto na vida pessoal. No entanto, muitas pessoas ainda têm dificuldade em lidar com essa questão, pois, por mais que se saiba que é importante ter autoconfiança, não é tão simples quanto parece acreditar em si mesmo e não duvidar nunca do seu potencial.

"A autoestima é uma grande aliada -ou até mesmo a maior aliada- no mundo corporativo, pois um profissional que se valoriza e reconhece seu próprio talento sente-se mais seguro para dar ideias, sugestões de melhoria, ou se posicionar e defender seus argumentos durante uma reunião", avalia Gisele Miranda, mentora de Carreira & Liderança.

Uma pesquisa recente da Universidade da Flórida demonstra que a autoestima não apenas torna a pessoa mais segura como também pode fazer crescer a conta bancária e equilibrar a saúde. 

E a importância de ser autoconfiante não se restringe ao ambiente de trabalho. "Por acreditar na sua capacidade, a pessoa alcança mais resultados, tanto na vida profissional quanto na pessoal. Além disso, mantém a saúde mais equilibrada, cultivando bons relacionamentos e um estilo de vida mais leve", diz Gisele.

Na visão da especialista, muitas vezes a falta de confiança em si mesmo é fruto de uma postura mental negativa. "Com esse tipo de atitude, é praticamente impossível se desenvolver de forma plena, na vida profissional ou privada", avalia a autora.


Confira 5 dicas para ter uma autoestima "inabalável":

Invista no autoconhecimento

Autoestima é a capacidade de valorizar ou não nossa identidade, se estamos satisfeitos com o que somos, e se reconhecemos o nosso valor. Sendo assim, o autoconhecimento é a "chave" para aumentar a autoestima.

"Reflita sobre sua história de vida, as características da sua personalidade e a forma com que você se relaciona. A partir de então, conseguirá ter uma visão clara de como você age na vida, e como reage em cada tipo de situação", diz.


Reconheça seu potencial

Deixe o autoboicote de lado e aprenda a identificar seus próprios talentos. Um bom exercício é fazer uma lista de qualidades e de tudo aquilo que acha que executa bem.

"A cada vez que uma autocrítica surgir em sua mente, substitua por algo positivo que consegue ver em você mesmo. É uma prática diária, que nos ajuda a sermos menos exigentes com nós mesmos e destacar aquilo que é bom", ensina Gisele.


Valorize suas conquistas

Também é importante ter em mente tudo o que já realizou até hoje, dando o devido valor a cada avanço, sem desmerecer aquilo que já foi alcançado. "Pensar ou até mesmo escrever sobre os sucessos obtidos ao longo da vida, realizações das quais se orgulha, é algo muito valioso, que ajuda a trabalhar a autoestima", ensina Gisele.

Isso ajudará a ter uma visão mais clara de tudo em que já foi bem-sucedido, e perceber que manter ou alavancar ainda mais esse sucesso depende de você.


Enfrente seus medos

Sentir medo, principalmente diante de uma situação desconhecida, é normal e faz parte da natureza humana. Mas o medo não pode ser algo que nos paralisa. "Não fuja dos seus próprios medos, não tente ignorá-los e fingir que eles não existem, pois isso pode fazer com que eles se intensifiquem", recomenda a especialista.

Para Gisele, enfrentar e superar seus medos - por mais assustadores que pareçam- é a única forma de vencê-los de verdade e crescer como profissional e como pessoa.

"Uma pessoa com autoconfiança também tem seus receios, mas ela atua e atinge suas metas, apesar deles. Ou seja, ela não se deixa dominar por aquele medo, pelo contrário, segue em frente e realiza seu melhor, apesar deles", avalia.


Reveja suas crenças

Após todos os passos descritos acima, será possível mudar o "mindset", termo que significa "modelo mental". "O mindset nada mais é do que a forma como uma pessoa pensa, aquilo que ela vê ao seu redor, em si mesma, e como interpreta cada questão. É a configuração dos seus pensamentos", explica Gisele.

Assim, com os exercícios de reflexão propostos nos itens anteriores, a pessoa poderá adquirir uma nova atitude e um novo modo de pensar. "A partir daí, ela adotará uma nova postura diante das mais diversas situações do cotidiano, demonstrando mais autoconfiança, menos inseguranças e disseminando crenças mais positivas a respeito de si mesmo e do mundo", finaliza.

 

Da Redação
[email protected]

Imprimir