Cidadeverde.com
Política

Adesão à Previdência Complementar será automática para novos servidores

Imprimir

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com 

O Plenário da Câmara Municipal de Teresina aprovou por unanimidade, em segunda votação, nesta quarta-feira (01), o texto do Projeto de Regime de Previdência Complementar na capital.

A proposta foi aprovada com uma emenda acordada entre o Sindicato dos Servidores Públicas Municipais (Sindserm), o vereador Ismael Silva (PSD) e Dudu Borges (PT). 

O petista explicou que a edição no texto garante aos servidores que a Previdência Complementar será automática apenas para os servidores que ingressaram em cargos municipais a partir do mês de março de 2022. 

“Mudamos o artigo nono do inciso nono a pedido dos servidores, que da robustez dizendo claramente que são apenas os novos servidores que terão essa oportunidade de fazer adesão a essa nova previdência”, pontou. 

O texto institui a alíquota de contribuição do servidor para o Regime de Previdência Complementar, que será de 8,5%. A adesão é opcional. Os novos servidores terão até 90 dias para cancelar a inscrição ou zerar o valor da contribuição. Já para os servidores antigos, ou seja, aqueles já estavam nomeados antes de abril de 2022, a Previdência Complementar é facultativa.

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com 

A votação foi acompanhada por alguns representantes do Sindserm que não falaram com a imprensa e não foi marcada por manifestações, assim como ocorreu na terça-feira (30). Segundo apurado pela reportagem, a classe se contentou com a emenda feita e aguarda obter acesso ao texto da Reforma da Previdência para agir novamente. O texto chegou ao Legislativo e está tramitando nas comissões. 

O líder do prefeito, Renato Berger (PSD), comemorou a votação tranquila. 

“Já havia sido discutido. O próprio sindicato através do vereador Dudu e Ismael apresentaram uma emenda que faz alteração em um dos artigos e vou votada sem maiores problemas”, frisou.

 

 

Flash Paula Sampaio
[email protected] 

Imprimir