Cidadeverde.com
Vida Saudável

Conheça três exercícios pélvicos que ajudam a reduzir a incontinência urinária

Imprimir

Foto: Freepik



A incontinência urinária é uma condição que pode acometer qualquer indivíduo em diversas faixas etárias. Além de afetar o bem-estar, impacta a feminilidade e pode causar inibição social. De acordo com a bacharel em educação física e instrutora de pilates, Priscilla Rabello, uma das formas mais simples de lidar com a condição é usando a atividade física como uma aliada.

"Conhecer e ter controle do seu corpo é extremamente importante. A prática regular de exercícios ajuda na autonomia e melhora a autoestima e a autoconfiança. Existem diversos exercícios que podem auxiliar, inclusive os específicos para o fortalecimento da musculatura pélvica. Com a prática, ao decorrer do tempo, eles farão com que seja mais fácil controlar o fluxo da urina, evitando assim perdas repentinas e involuntárias”, explica Rabello.


Exercícios:

1 - Sente-se com a postura centralizada e abdômen contraído, coloque um travesseiro, almofada ou toalha enrolada entre os joelhos e palma das mãos apoiadas sobre as pernas. Inspire e expire contraindo o abdômen e o travesseiro entre os joelhos, usando os músculos como se interrompesse o fluxo urinário. Faça duas séries de 10 repetições.

2 - Deite-se no chão, joelhos flexionados, pernas e pés alinhados ao quadril, relaxe o pescoço e os ombros, inspire elevando a pelve, desça expirando e comprimindo o abdômen. Faça duas séries de 15 repetições.

3 - Deite-se no chão e inspire e expire tentando encostar a lombar no chão. Use os músculos que você usa para interromper o fluxo urinário. Faça duas séries de 15 repetições. 

Dica: o ideal é realizar os exercícios deitado no chão, podendo colocar um tapete ou toalha para não ficar desconfortável.

 
A profissional afirma que é possível fazer contrações simples no dia a dia, enquanto dirige ou no trabalho, expirando e inspirando, contraindo o abdômen e usando os músculos que interrompem o fluxo urinário.

Essas contrações podem ser longas ou curtas e é importante contrair o assoalho pélvico por até 10 segundos (contração longa) ou por 2 segundos (contração curta). Essa repetição ajuda na contração abdominal, alinhamento postural, evitando e controlando a incontinência urinária. 

Além da prática de exercícios para a região, buscar especialistas para o tratamento e ter um entendimento maior sobre a condição é essencial para evitar que a incontinência se intensifique.

 

Da Redação
[email protected]

Imprimir