Cidadeverde.com
Política

Com bancada, governador anuncia reajuste de 8% para servidores do estado

Imprimir
  • bancada26.jpg Ascom/governo do Piauí
  • bancada25.jpg Ascom/governo do Piauí
  • bancada24.jpg Ascom/governo do Piauí
  • bancada23.jpg Ascom/governo do Piauí
  • bancada22.jpg Ascom/governo do Piauí
  • bancada21.jpg Ascom/governo do Piauí
  • bancada20.jpg Ascom/governo do Piauí
  • bancada19.jpg Ascom/governo do Piauí
  • bancada18.jpg Ascom/governo do Piauí
  • bancada17.jpg Ascom/governo do Piauí
  • bancada16.jpg Ascom/governo do Piauí
  • bancada15.jpg Ascom/governo do Piauí
  • bancada14.jpg Ascom/governo do Piauí
  • bancada13.jpg Ascom/governo do Piauí
  • bancada12.jpg Ascom/governo do Piauí
  • bancada11.jpg Ascom/governo do Piauí
  • bancada10.jpg Ascom/governo do Piauí
  • bancada9.jpg Ascom/governo do Piauí
  • bancada8.jpg Ascom/governo do Piauí
  • bancada7.jpg Ascom/governo do Piauí
  • bancada6.jpg Ascom/governo do Piauí
  • bancada5.jpg Ascom/governo do Piauí
  • bancada4.jpg Ascom/governo do Piauí
  • bancada3.jpg Ascom/governo do Piauí
  • bancada2.jpg Ascom/governo do Piauí

Na última reunião do ano com todos os partidos da base aliada, o governador Wellington Dias (PT) anunciou aos deputados estaduais que enviará está semana o projeto de lei de reajuste linear de 8,82% para os servidores públicos do estado.

A reunião, que iniciou por volta das 16h e encerrou às 18h30, o governador pediu apoio dos deputados para aprovação do projeto que vai impactar em mais de 90 mil servidores ativos e inativos. Ele garantiu que vai dialogar com as categorias para evitar um atrito durante as votações. 

Na reunião, o governador explicou que a inflação é referente aos anos de 2019 e 2020, reconheceu que o servidor teve perdas e que foi impedido de dar reajuste devido a lei federal da pandemia.  

Ao lado da vice-governadora, Regina Sousa e do presidente da Assembleia Legislativa, Themístocles  Filho, Wellington Dias fez um balanço deste ano, as conquistas e os desafios para 2022.

Saída do PL 

Com a filiação do presidente Jair Bolsonaro ao PL, o governador reconheceu que para permanecer no bloco da base, lideranças do PL terão que sair do Partido Liberal e se filiar em uma sigla  governista. 

A proposta que o governador colocou na reunião é de escolher três partidos – possivelmente o MDB, PSD e PT - para receber as lideranças do PL e do PTB, além de situações excepcionais.

Participaram da reunião, parlamentares do PL como coronel Carlos Augusto, Dr. Hélio e Fábio Xavier e todos os deputados governistas. O secretário de Fazenda, Rafael Fonteles também esteve presente. 

O governador pediu calma aos parlamentares que exigiram pressa na definição sobre a migração de lideranças e disse que vai pessoalmente conversar com cada deputado para formar uma chapa forte para 2022. 

Pela formatação desenhada pelo governador, a base ficará o PT, MDB, PSD, PSB e Solidariedade. Sobre as federações, o governo aguarda uma definição nacional que poderá juntar PT, PCdoB e PSB em uma possível federação. 

Dias pediu que as decisões sejam tomadas de forma em conjunta e não individual para não atrapalhar as negociações, fortalecendo o bloco e lançando uma chapa competitiva nas eleições do próximo ano.  

 

Flash Yala Sena
[email protected] 

Imprimir