Cidadeverde.com
Geral

Ex-secretários são alvos de operação da PF que apura propina em licitações

Imprimir

Foto: Roberta Aline / Cidadeverde.com 

Atualizada às 11h15

Entre os investigados na , deflagrada pela Polícia Federal em Picos, São Luís do Piauí e Ipiranga do Piauí, nesta quarta-feira (15/12), estão pessoas que já ocuparam cargos de vereador e secretário nas cidades citadas. A operação tem o objetivo de apurar esquema de corrupção existente entre empresários e servidores públicos.

Ao todo, 10 pessoas, entre físicas e jurídicas, estão sendo investigadas suspeitas de envolvimento no esquema de propina para facilitar licitações a empresas do ramo de obras e prestação de serviços. 

As investigações mostraram repasses de valores de empresas sediadas em Picos para agentes públicos vinculados a municípios dessa microrregião. 

“Assim que a empresa recebia o dinheiro referente a um processo locatário, o servidor recebia uma transferência da mesma empresa. O que seria uma vantagem indevida ou, como mais conhecida, propina”, disse o delegado Oto Andrade Teixeira, chefe da delegacia de repreensão  à corrupção e crime financeiro. 

Foto: Roberta Aline / Cidadeverde.com 

“Entre os materiais apreendidos estão arquivos de licitação pública, conversas telefônicas, documentos e recibos de transferências bancárias”, completou o delegado Oto. 

Ainda não há um valor estimado do prejuízo do esquema de corrupção porque, de acordo com o delegado, a operação está em fase de investigação e de levantamento de informações. 

Nenhuma pessoa foi presa até o momento durante o cumprimento dos mandados. Somente após a análise dos materiais apreendidos é que a PF decidirá se solicita mandados de prisão preventiva contra algum dos investigados. 

Matéria original 

Foto: Polícia Federal 

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quarta-feira (15) a Operação Paradoxo com o objetivo de apurar esquema de corrupção existente entre empresários e servidores públicos dos municípios de Ipiranga do Piauí e São Luís do Piauí. 

A ação, realizada em parceria com a Controladoria Geral da União, visa apurar a prática de crimes de corrupção ativa e passiva, associação criminosa e lavagem de dinheiro.

25 Policiais Federais e três Auditores da CGU cumprem, ao todo, nove mandados judiciais de busca e apreensão nos municípios de Picos, São Luís do Piauí e Ipiranga do Piauí, todos localizados na microrregião de Picos. As ordens foram expedidas pela 1ª Vara Criminal Federal da Seção Judiciária do Piauí.

Foto: Polícia Federal 

De acordo com a Polícia Federal, as investigações mostraram repasses vultosos de valores de empresas sediadas em Picos para agentes púbicos vinculados a municípios dessa microrregião. Ainda segundo a PF, os repasses, diversas vezes, ocorreram nas mesmas datas dos pagamentos realizados às empresas relativos a obras e serviços executados nos municípios envolvidos.

Até o momento, já foram apuradas irregularidades em procedimento licitatório que resultou na vitória de uma das empresas investigadas, bem como a remessa de valores a título de pagamento de vantagem indevida superior a R$ 1,5 milhão.

Além disso, restou demonstrada a utilização, pelo grupo criminoso, de pessoas interpostas com a finalidade de promover a lavagem do dinheiro obtido com a prática dos crimes.

O nome da operação (Paradoxo) é uma referência à contradição existente entre os fatos apurados e os princípios que devem nortear os servidores públicos.

Foto: Polícia Federal 

 

Natanael Souza e Nataniel Lima
[email protected] 

 

Imprimir