Cidadeverde.com
Geral

Cerca de 3 mil motoristas por app deixaram profissão durante a pandemia em Teresina

Imprimir

Foto: Roberta Aline / Cidadeverde.com

Uma estimativa levantada pela Amatepi (Associação dos Motoristas por Aplicativo no Piauí) aponta que aproximadamente 3 mil motoristas por aplicativo abandonaram a profissão entre os anos de 2020 e 2021, em Teresina. 

Os motivos apontados pela associação como os mais comuns entre aqueles que se desligaram dos aplicativos são: a alta no preço dos combustíveis e aumento de assaltos a motoristas, além da própria pandemia de Covid-19. 

A presidente da Amatepi, Maria Ducarmo, informou que a associação calcula que em 2020 cerca de 20% dos motoristas deixaram de trabalhar com o transporte de passageiros por aplicativos devido a pandemia. 

"Logo depois veio o aumento no combustível. Costumo dizer que ele é um dos maiores vilões para a gente. Porque é nossa matéria prima de trabalho", analisou Maria Ducarmo. 

Insegurança vivida por motoristas

A presidente da Amatepi afirmou que todos os dias são registrados em Teresina cerca de dois ou três assaltos a motoristas de aplicativo. Segundo Maria Ducarmo, os assaltantes não agem em um horário ou zona da cidade específicos. 

"Parceiros nossos estão sendo assaltados às 7h da manhã, outros às 13h e até mesmo às 22h. Não tem mais hora e local. Eu mesma já fui assaltada duas vezes desde que comecei a trabalhar como motorista por aplicativo", lamentou Maria Ducarmo. 

De acordo com a presidente da associação, o poder público municipal ficou de preparar uma ação para resolver essa questão da insegurança dos motoristas em Teresina. No entanto, até o momento, nada foi apresentado para a categoria. 

Foto: Roberta Aline / Cidadeverde.com

Códigos internos

Para driblar a onda de assaltos, motoristas por aplicativo têm utilizado códigos internos específicos para inibir a ação de criminosos. 

"Temos um rádio de comunicação que a todo instante a gente usa para se comunicar.  Isso nos ajuda porque já aconteceu de um colega nosso se livrar de um assalto por conta do rádio ligado. Isso inibe um pouco a ação desses criminosos", destacou Ducarmo. 

Onda de cancelamentos 

Uma das queixas mais frequentes para usuários de transporte por aplicativo tem sido os constantes cancelamentos de viagens por motoristas. Isso acontece, segundo análise de Ducarmo, devido a alta demanda de passageiros e redução de motoristas. 

Outro fator que tem provocado essa onda de cancelamentos diz respeito ao destino do passageiro. Muitos motoristas não entram em algumas zonas em Teresina por considerarem "cuidadosas". 

Questionada pela reportagem se a associação possui algum mapeamento das zonas evitadas por esses motoristas, Maria Ducarmo informou que a Amatepi não tem esses dados e que fica a critério do motorista realizar essa avaliação. 

"Alguns motoristas que moram próximos dessas zonas mais 'cuidadosas' aceitam essas corridas. Agora, quem não tem conhecimento algum da área, não vai entrar num local onde não se sabe a saída do bairro. Fica difícil o acesso a esses locais", completou a presidente da Amatepi. 

 

Nataniel Lima
[email protected] 

Imprimir