Cidadeverde.com
Geral

PM é suspeito de ter efetuado disparos durante show em Teresina

Imprimir

Um soldado da Polícia Militar do Piauí (PM-PI) seria o autor dos disparos de armas de fogo durante o show do cantor Tarcísio do Acordeon, na madrugada do último domingo (19), na zona Leste de Teresina. Mesmo sem feridos, a ação caracteriza um crime.

Em depoimento ao 5° Distrito Policial da capital, o suspeito afirmou que estava presente na apresentação acompanhado da esposa, porém, negou ser o responsável pelos disparos, registrado em vídeo que viralizou nas redes sociais.

“Devido o princípio da presunção de inocência, todo mundo tem a livre defesa e o livre argumento. Ele negou os fatos, disse que realmente estava no evento mas que não fez os disparos [...] negou que era ele na imagens”, informou o delegado Paulo Gregório.

A investigação da Polícia Civil do Piauí (PC-PI) também ouviu dois vigilantes privados que trabalharam naquele show. Responsáveis por retirarem o autor dos disparos no local, fizeram o reconhecimento por foto e confirmaram que se tratava do militar.

Agentes da PC-PI conseguiram recolher duas cápsulas de munição 9mm de onde os disparos, feitos por uma pistola, teriam ocorrido. Em seu depoimento, o investigado confirmou que possui uma arma semelhante, mas tornou a negar a autoria dos tiros.

Apesar de ainda aguardar os resultados do exame de microcomparação balística para ser anexado ao inquérito, para os investigadores não há dúvidas de que o policial militar é o responsável por efetuar os disparos durante o show do cantor Tarcísio do Acordeon.

“As provas são robustas e apontam a autoria. Já estamos concluindo e relatando dentro do prazo legal e tem vários elementos de informação que apontam que ele é autor do fato”, garantiu o delegado.

Após a conclusão, o inquérito deve ser encaminhado ao Ministério Público, que ficará responsável por oferecer a denúncia que pode levar ao indiciamento do militar pelos disparos em via pública, crime com pena de dois a quatro anos de reclusão e multa.

Breno Moreno 
[email protected]

Imprimir