Cidadeverde.com
Vida Saudável

Rinoplastia: Especialista explica cuidados necessários e alerta para riscos

Imprimir

Foto: Freepik




Por depender de diversos fatores, nem sempre a primeira rinoplastia atinge os resultados desejados. Por isso, pode-se optar por fazer uma rinoplastia revisional, ou rinoplastia secundária, que é o procedimento em que o cirurgião plástico soluciona imperfeições de um procedimento anterior.

O resultado não satisfatório da cirurgia pode significar falha estética, ou seja, quando o nariz parece diferente do desejado ou até pior do que antes do procedimento; ou falha funcional, quando o fluxo de ar nasal fica comprometido ou há interrupção interna.

O cirurgião plástico William Machado detalha os riscos. "Visto que a cartilagem tem uma espécie de memória, sempre existe o risco de o nariz voltar à sua forma original com o tempo. Outro problema é o contato entre cartilagens, que resulta em obstrução nasal no pós-operatório", disse.

O nariz possui uma anatomia complexa e, por isso, a rinoplastia secundária pode ser uma ótima oportunidade para corrigir falhas persistentes, dependendo do caso de cada paciente.

William Machado observa que esse segundo procedimento pode assumir várias formas, algumas mais simples, enquanto outras são mais complexas. Na maioria dos casos, o recomendado é aguardar pelo menos um ano após a primeira rinoplastia antes de realizar a secundária, já que a cicatrização dos tecidos do nariz deve estar completa nesse intervalo de tempo.

Segundo o cirurgião plástico, a correção é realizada por meio da técnica aberta, geralmente sob anestesia geral para ajudar a reduzir qualquer desconforto.

"Os resultados iniciais do procedimento serão notados imediatamente, mas continuam melhorando conforme o inchaço diminui e o nariz cicatriza. É importante que os pacientes esperem até que os resultados completos apareçam, antes de comparar seus resultados pré e pós-operatórios", aconselha William Machado.

 

Da Redação
[email protected]

Imprimir