Cidadeverde.com
Geral

FMS reforça orientações após aumento de síndromes gripais em Teresina

Imprimir


O presidente da Fundação Municipal da Saúde (FMS), Gilberto Albuquerque, reforçou nesta quinta-feira (06) as orientações aos teresinenses sobre os casos de síndromes gripais. Ele destaca que a rede de atendimento foi ampliada para atender casos dos mais diversos níveis de gravidade. 

“Se a pessoa tem febre, dor de cabeça, dor no corpo, falta de apetite, escorrendo o nariz, então ela tem uma síndrome gripal. Ela pode procurar diretamente um Centro de Testagem para excluir a possibilidade de Covid ou confirmar. Lá não precisa marcar, não tem médico. Você passa por uma triagem, faz o teste e recebe o resultado na hora”, destacou. 

Os Centros de Testagens são os seguintes:

Zona Norte - Clube do Servidor Municipal (Rua Minas Gerais, 1049 - Matadouro). 
Zona Leste - Sindicato dos Trabalhadores da Universidade Federal do Piauí –SINTUFPI (Avenida Universitária, 661- Ininga)
Zona Sudeste - UBS do Gurupi (Rua Coração de Maria, 6171- Gurupi)
Zona Sul - Centro Universitário Santo Agostinho (Avenida Professor Valter Alencar, 665 - São Pedro)


Já para quem está com uma suspeita mais forte de covid, a orientação é procurar uma das seis Unidades Básicas de Saúde (UBS) específicas para síndromes gripais, que funcionam diariamente, das 7h às 19h. 

Na zona Norte, o atendimento é feito na UBS Real Copagre; na zona Leste, as pessoas podem procurar atendimento nas UBS Planalto Uruguai e Taquari; na zona Sudeste o atendimento é feito na UBS Gurupi e na zona Sul o atendimento é nas UBS Parque Piauí e Hugo Prado.

Nos casos mais complexos, a orientação é procurar um dos hospitais da rede municipal de Saúde. “Temos toda uma rede de assistência, hierarquizada, do mais simples ao mais grave caso”, destacou Gilberto Albuquerque. 

Aumento de casos 

Ainda de acordo com o presidente da Fundação Municipal de Saúde, Teresina deve registrar aumentos de casos positivos de Covid e Influenza. Para ele, os índices são reflexos das festividades de final de ano e do período chuvoso. 

“Esse final de ano, tivemos as confraternizações natalinas e tivemos a antecipação das chuvas, o que facilitou uma disseminação exacerbada do vírus da gripe e da covid. Com isso, tivemos que montar uma força tarefa”, explicou. 

 


Natanael Souza
[email protected] 

Imprimir