Cidadeverde.com
Cidades

Família confirma que corpos encontrados em Caxias são de pastor e corretor

Imprimir

Foto: Arquivo Pessoal

Atualizada às 18h

A esposa do pastor Carlos Alberto de Oliveira Junior, Janaína Rocha, confirmou que os corpos encontrados na tarde desta quinta-feira (20), na zona Rural de Caxias, no Maranhão, são do esposo e do corretor de veículos Raí Rodrigues Lima. Os dois estavam desaparecidos desde o último dia 11 de janeiro.

O reconhecimento aconteceu antes mesmo do procedimento de identificação no Instituto Médico Legal (IML) de Timon, para onde os dois corpos foram levados. “Reconheci através de um vídeo que recebi pelo WhatsApp. Nele o pastor estava de joelhos, mas quando vi reconheci logo que era ele. Não tem mais o que falar”, disse Janaína . 

Na ocasião, a esposa da vítima ratificou o que já havia relatado anteriormente, que o marido não mantinha amizade com o corretor, rebatendo as informações repassadas pelos investigadores policiais.  Apesar disso, admitiu que não sabia se Raí tinha algum desafeto ou envolvimento com a criminalidade.

Foto: Breno Moreno

“Isso está me deixando muito triste. O Raí não era membro da igreja, não fazia parte do ciclo de amizade do pastor, que só foi com o Raí por conta de um convite. Ele estava no lugar errado, na hora errada. Quem era pra ir no lugar do pastor era outra pessoa. O que o delegado falou não condiz com a verdade, eles não eram amigos”, declarou a mulher.

A esposa ainda relatou que, no dia em que as duas vítimas saíram para realizar a entrega do veículo, só não os acompanhou devido um mal estar sentido momentos antes. Ela também confidenciou que a decisão do marido em acompanhar uma pessoa desconhecida foi  motivo de discussão entre o casal naquela noite.

“Eu não fui com eles dois nesse dia, porque estava com uma dor do lado do braço e quando ele entrou dentro do carro essa dor estava me incomodando e eu disse que não ia. Se não fosse isso eu iria, porque em todo lugar que o Júnior [pastor] estava eu também estava [...] Nós tínhamos brigado, a última vez que tivemos uma discussão por causa do Raí ele me disse que ia ganhar o Raí pra Jesus”, contou Janaína.

Segundo o delegado Jair Paiva, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Caxias, na roupa de um dos cadáveres foi encontrado um documento de identificação do pastor.

"No bolso das vestes de um dos cadáveres estava o documento do pastor. Ao que tudo indica, o corpo é dele, mas vamos aguardar a perícia", informou ao Cidadeverde.com.

Os corpos foram encontrados na estrada que dá acesso ao município de Coelho Neto, no povoado Redenção. De acordo com o delegado, o local onde foram encontrados já foi periciado e os cadáveres removidos para o Instituto Médico Legal de Timon. A informação de que as vítimas foram achadas já foi repassada ao DHPP de Teresina.

"Já conversei com o delegado e o DHPP de Teresina já foi comunicado", disse Paiva.

Foto: Breno Moreno

Ontem, o delegado Luís Guilherme, titular da Delegacia de Investigação de Desaparecimento de Pessoas, informou que conseguiu imagens do veículo em que os dois estavam, atravessando a ponte José Sarney [Da Amizade], em direção ao Maranhão. Por conta disso, os investigadores realizaram diligências em Timon e Caxias.

Na segunda-feira (17) alguns familiares das vítimas realizaram um protesto em frente a sede do DHPP em Teresina cobrando respostas das autoridades sobre o paradeiro de Carlos Júnior e Raí Rodrigues, que teriam desaparecido na noite no dia 11 de janeiro, ocasião em que saíram do bairro Cidade Jardim, na zona Leste da capital, para realizar a entrega de um veículo no bairro Aeroporto, na zona Norte da cidade.

Hérlon Moraes e Breno Moreno
[email protected]

 

Imprimir