Cidadeverde.com
Geral

Piauí pode adotar novas medidas restritivas após aumento de ocupação nos leitos

Imprimir

Foto: Renato Andrade/ Cidade Verde

O aumento na ocupação de leitos de UTIs e alta nos casos de covid-19 deixam o Piauí em estado de alerta máximo. Diante da situação preocupante, o governo do estado solicitou que o COE (Comitê de Operações Emergenciais) faça um diagnóstico sobre a situação da pandemia para deliberar, ou não, sobre a necessidade da decretação de novas medidas restritivas. 

O secretário Estadual de Saúde, Florentino Neto, informou que quatro regiões já estão com 100% de ocupação de leitos de UTIs. 
Ontem (26), o governador Wellington Dias (PT) esteve reunido com os secretários Florentino Neto (Saúde), Osmar Júnior (Governo) e Rafael Fonteles (Fazenda) e a vice-governadora Regina Sousa para fazer uma análise da situação sanitária no estado. 

“Fizemos a análise da nossa situação com relação as internações, números de casos, crescimento de óbitos. O governador pede extrema responsabilidade de todos nós que estamos nesse enfrentamento e solicitou que o COE possa deliberar como efetivamente nós podemos proceder nesse momento com relação as medidas de prevenção e restrição”, explicou Florentino Neto.

“Não prevemos grandes mudanças, mudanças significativas, mas temos sempre que estar atuando conforme a necessidade do momento”, disse o secretário de Saúde. 

Carnaval 

Outro ponto a ser deliberado pelos técnicos do COE será a realização de festas de Carnaval no estado. Pelas regras vigentes, elas são permitidas, porém, não podem ser patrocinados pelo poder estadual.  

Governador seguirá COE

Em entrevista ao Cidadeverde.com, Wellington Dias ressaltou que seguirá a orientação do COE e que como chefe do Executivo piauiense terá a coragem de seguir aquilo que for recomendando pelo Comitê Científico. 

“O que teremos que avaliar é se há a necessidade de mais medidas, onde há uma agenda permanente e integrada, tanto das secretarias, municípios e estados e comitê científico e a qualquer momento em que for apresentada por eles a necessidade de medidas teremos a coragem de adotar”, pontuou.

 

Paula Sampaio
[email protected]

Imprimir