Cidadeverde.com
Geral

COE se reúne e pode anunciar novas medidas devido a alta de casos de covid no Piauí

Imprimir

Foto: Reprodução/Sesapi

Os membros do Comitê de Operações Emergenciais do Piauí(COE-PI) se reuniram, na tarde desta quinta-feira (27), para avaliar o avanço dos índices da covid-19 em todo o estado. Na ocasião, o grupo também elaborou algumas recomendações à Secretaria Estadual de Saúde (Sesapi), que ainda deve se manifestar sobre o assunto.

Ontem (27) a Secretaria de Saúde do Piauí (Sesapi) informou que hospitais de quatro regiões do estado já estavam com 100% dos leitos de UTI-Covid ocupados e que, por conta disso, o governador Wellington Dias (PT) solicitou que o COE-PI o diagnóstico do atual momento da pandemia para deliberar, ou não, sobre a adoção de novas medidas restritivas

Em entrevista ao Cidadeverde.com, o diretor do Hospital Infantil Lucídio Portela, em Teresina, o médico Vinicius Nascimento relatou preocupação com o aumento de diagnósticos positivos da doença no Laboratório Central de Saúde Pública do Piauí (Lacen-PI) e da taxa de reprodução de transmissibilidade do vírus, que quase duplicou em um mês.

“Já temos o R0 [R zero] de 1,6 que em dezembro era de 0,8. Temos aumento de 80% de casos positivos nos testes do Lacen-PI, então tudo que está se mostrando é de um crescimento de gravidade [...] os casos não são graves no volume, mas a quantidade de casos é tão grande que se torna complexo e difícil prestar o atendimento”, explica o especialista.

Para Vinicius Nascimento, um dos motivos para “a gravidade da situação atual está piorando muito” é a falsa impressão de que, apesar da grande quantidade de pessoas infectadas pela doença, os quadros sintomáticos são leves. O médico alerta que esse “volume gigantesco de pessoas adoecendo” compromete inclusive o funcionamento dos serviços hospitalares.

“Como cresce muito a contaminação, está entrando em colapso até mesmo a capacidade de atendimento, não pelo volume de atendimentos, mas por funcionários também doentes. Pela primeira vez temos hospitais com 30% dos funcionários afastados, isso inviabiliza atendimento e funcionamento”, pontuou o membro do COE-PI.

Retorno das aulas presenciais

Na terça-feira (26) a Diretoria de Vigilância Sanitária Estadual (Divisa) publicou uma nota técnica estabelecendo, dentre outras coisas, a possibilidade da suspensão das aulas presenciais na rede pública ou privada em casos em que dois ou mais alunos, de turnos diferentes, positivem ou tenham a suspeita de infecção pela covid-19.

Questionado pela reportagem sobre a possibilidade do COE-PI endurecer as diretrizes acerca da retomada das atividades presenciais nas unidades educacionais em todo o estado, Vinicius Nascimento garantiu que serão mantidas as normas já anunciadas pelo colegiado, mas enfatizou a necessidade destas serem respeitadas neste momento de alta do covid-19.

“Já temos denúncias de que vários colégios que não estão seguindo nem a métrica do metro quadrado. Professores também relatam que não está sendo respeitada a separação das mesas. É muito difícil colocar normas, que se fossem seguidas rigidamente era totalmente possível ter um retorno às aulas tranquilo”, ponderou o médico.


Breno Moreno
[email protected]

Imprimir