Cidadeverde.com
Esporte

Com um a mais, 4 de Julho sai à frente, mas cede empate ao Fluminense-PI pelo Estadual

Imprimir

Fotos: Aldo Carvalho

O jogo entre Fluminense e 4 de Julho terminou no empate por 1 a 1, com gol de Mauro, gol olímpico para o Colorado, e Eduardo marcou para o Flu conseguindo igualar o placar. O 4 de Julho contou com um homem a mais praticamente todo o jogo, pois teve o goleiro Nicolas expulso aos 12 minutos da primeira etapa. Com o resultado, o Fluminense segue líder do Estadual com 10 pontos e o Colorado anota o terceiro empate e agora tem seis pontos na tabela, está terceiro lugar.  O 4 de Julho terá uma folga na tabela e só volta a campo agora no dia 6 de fevereiro quando irá receber o River na Arena Ytacoatiara, em Piripiri. O Fluminense volta a campo na terça-feira (1°) quando recebe o River, no Lindolfo Monteiro, em Piripiri. 

O jogo 

A equipe do Fluminense começou a partidas desconcentrada e acabou pecando bastante. Sofreu o gol logo aos seis minutos, em escanteio batido por Mauro, o camisa 8 marca um gol olímpico no estádio Lindolfo Monteiro. Aos 12 minutos, contra ataque rápido do 4 de Julho força saída errada do goleiro Nicolas e ele toca a bola fora da área para evitar o que poderia ser o segundo gol do time de Piripiri e acaba expulso direto. Com isso,  o Flu fica com um a menos e o auxiliar Totonho que estava à beira do gramado tira Bismarck do jogo para entrada do camisa 12 Fábio. 

A entrada do goleiro substituto, Fábio, ainda teve uma situação marcada por erro da arbitragem, pois o quarto arbitro subiu a placa com saida do camisa 1, Nicolas, que na verdade havia sido expulso e entrada de Fábio. O goleiro do Flu entra em campo e o juiz Jardiel dá cartão amarelo a Fábio afirmando que ele havia entrado sem autorização, após isso que o quarto arbitro faz a correção da saída de Bismarck para entrada de Fábio, mas o cartão não foi retirado. O juiz inclusive distribuiu inúmeros cartões ao longo da partida e a partida por várias vezes ficou comprometida pela quantidade de faltas marcadas.

Com um a mais se imaginava que o 4 de Julho iria buscar ampliar o placar e conseguir ter maior tranquilidade na partida, mas não foi o que aconteceu. O time do técnico Rogério Corrêa ameaçou em cobranças de falta, mas quem teve maior posse de bola e buscou mais o gol foi o Flu. 

Aos 48 minutos do segundo tempo, bola chega viva dentro da pequena aréa após cruzamento e Jailson defende meio esquisito para o time de Piripiri, mas no bate rebate acaba indo para fora. Na segunda etapa uma mudança de cada lado e o 4 de Julho tira Carlos Moraes e coloca Rico Júnior, do lado do Flu sai de campo Tarcísio e entra Eduardo, para seu primeiro jogo da temporada. 

O Fluminense cresce ainda mais na segunda etapa e mesmo com um a menos se impõe no jogo. Aos 16 minutos, falta batida por Pio e o zagueiro Michel cabeceia para fora. Aos 17 minutos, o Fluminense chega ao empate com Eduardo, que tem a experiência como trunfo e está no lugar certo na hora certa para receber bola e ver o goleiro Jailson adiantado, ele toca cobrindo o goleiro e iguala o marcador no Lindolfo Monteiro. 

Aos 34 minutos, mas chance do Vaqueiro, dessa vez apos cobrança de lateral, fica bate rebate e o artilheiro Mário Sérgio cabeceia a bola toca a trave e não entra. O 4 de Julho tenta responder e em cruzamento de Ricardo Sena despretencioso força o trabalho de Fábio, mas quem segue mais próximo de chegar a virada é o Flu que ainda tem uma bola de Mário Sergio no travessão e uma chance em que Pio fica sozinho de frente para o goleiro e isola. Fim de jogo empate por 1 a 1.

O Fluminense se mantem líder do Estadual com 10 pontos e o 4 de Julho chega aos seis pontos e três empates seguidos na competição e agora em terceiro lugar. A vice-lirança pertece ao River, com sete pontos após a vitória em cima do Altos na noite de ontem (26). 

O 4 de Julho terá uma folga na tabela e só volta a campo agora no dia 6 de fevereiro quando irá receber o River na Arena Ytacoatiara, em Piripiri. O Fluminense volta a campo na terça-feira (1°) quando recebe o River, no Lindolfo Monteiro, em Piripiri. 

 


Pâmella Maranhão 
[email protected]

Imprimir