Cidadeverde.com
Geral

SP: Aluno só será afastado se apresentar dois sintomas de Covid-19

Imprimir

Foto: Arquivo Cidadeverde.com

O secretário de Educação de São Paulo, Rossieli Soares, disse que alunos, professores e funcionários só devem deixar de frequentar as escolas se apresentarem dois sintomas de Covid.

A orientação, dada na manhã desta quarta-feira (2) no primeiro dia de aula da rede estadual, vai na contramão das recomendações médicas.

Com a circulação da variante ômicron, altamente transmissível, a orientação científica é para o isolamento imediato a partir dos primeiros sintomas relacionados à Covid –independentemente de serem mais de um.

O secretário também afirmou que não há mais orientação para a suspensão das atividades presenciais em turmas que registrarem casos de Covid, mesmo que tenham tido mais de uma ocorrência. Segundo ele, a suspensão só deve ocorrer em caso de surto. No entanto, ele não informou o que configura um surto.

"Pessoas sintomáticas não devem ir à escola, mas o que são pessoas sintomáticas? São as que têm dois sintomas. Não pode ser 'estou com dor de cabeça, então sou sintomática para Covid'. Tem que ter dois sintomas daqueles que são da Covid para não ir à escola, especialmente, até fazer o teste", disse o secretário, ao acompanhar o primeiro dia de aula na escola estadual Professora Yolanda Bernardini Robert.

A orientação do secretário também vai na contramão do protocolo adotado por escolas particulares, que têm recomendado que os alunos fiquem em casa ao apresentar algum sintoma relacionado à Covid.

Os médicos também recomendam que o isolamento seja feito a partir da manifestação de qualquer sintoma, especialmente os relacionados às vias aéreas, como como coriza, pigarro, tosse seca, dor de garganta.

Dor de cabeça, fadiga e febre também são sintomas de Covid. Estudos mostram que nem todos os infectados sintomáticos vão apresentar o mesmo quadro clínico nem que todos os sintomas aparecem nos primeiros dias, por isso, a importância do isolamento e testagem logo no início.

Segundo Soares, aqueles que forem afastados após apresentar sintomas podem retornar após o 10º dia mesmo sem apresentar teste com resultado negativo se não tiverem mais sintomas. Se a partir do 5º dia tiverem teste negativo, podem retornar à escola.

No caso de pessoas assintomáticas, mas que tiveram contato com alguém infectado, o retorno pode ocorrer a partir do 7º dia, mesmo que não tenha sido testada.

O secretário também informou que não há mais recomendação para as escolas suspenderem turmas quando tiverem casos confirmados entre alunos e funcionários. "Ter um ou dois casos não justifica o fechamento, só em casos de surto e quem vai definir quando fechar uma turma vai ser a secretaria", disse.

As aulas presenciais começaram nesta segunda na rede estadual, com frequência obrigatória a todos os cerca de 3,5 milhões de estudantes. Apenas gestantes e alunos com comorbidades, que apresentarem atestado médico, podem continuar no ensino remoto.

Segundo Soares, das cerca de 5 mil escolas estaduais, 13 não iniciaram as aulas nesta segunda por terem tido danos provocados pelas chuvas dos últimos dias. Em outras 34 unidades, os alunos vão receber merenda seca nos primeiros dias de aula, porque as cozinhas estão em reforma.

Fonte: Folhapress

Imprimir