Cidadeverde.com
Últimas

Francês Malik Roy nega ter feito ameaças a modelo teresinense

Imprimir

Foto: Arquivo Pessoal

O francês Malik Roy, em direito de resposta, garantiu ao Cidadeverde.com que nunca perseguiu ou realizou qualquer tipo de difamação contra a modelo teresinenses Rayanne Adorno, que registrou um Boletim de Ocorrência contra ele.

Em 2020, a modelo denunciou que estava sendo perseguida pelo seu ex-namorado Malik Roy, que ela conheceu em Budapeste, capital da Hungria.  

Em contato com o Cidadeverde.com, ele negou que tenha feito qualquer tipo de comentário racista, misógino ou xenofóbicos, e que tenha feito qualquer ameaça, como o envio e-mails, fotos ou vídeos de assassinatos, como a modelo alegou. Ele afirmou que a modelo fez uma manipulação de mensagens trocadas entre ele e amigos dela, para alegar que ele estava perseguindo e ameaçando ela.

“Ela manipulou, conscientemente, essas mensagens e simulou ter recebido ameaças de ordem física, puníveis pela lei e, então, solicitando uma proteção”, disse Malik em direito de resposta.

Ele disse que nunca perseguiu Rayanne, e que o retorno dela ao Brasil aconteceu depois que os dois terminaram o relacionamento em 2019, na Hungria.

“Ela voltou para Brasil porque não encontrou nenhum trabalho e iria ficar com ilegal. Então não tem essa história de que ela voltou porque eu estava perseguindo ela. Porque eu deixei ela, mas ela escolheu falar mentiras para a família e amigos dela. Eu já tentei falar com todos e dizer a verdade, sobre o que realmente aconteceu”, disse Malik.

Sobre o Boletim de Ocorrência, ele afirmou que também registrou um contra a modelo, na cidade de São Paulo, em janeiro 2021, pelo crime de denunciação caluniosa, após ser informado sobre as acusações.

“Os fatos dos quais esta pessoa me acusa são passíveis de sanções judiciais. Essas falsas acusações perturbam minha tranquilidade e minha integridade moral. Ela fez denúncia caluniosa por duas vezes as autoridades policiais com versões diferentes dos fatos.  A autora me imputou os fatos que sabe serem falsos, mas com a intenção de me prejudicar, para fazer acreditar em um caráter delituoso dos fatos, que sabe não existir. Adicionando a sua descrição dos fatos para que eu seja prejudicado”, afirmou o francês.

 

Da Redação

[email protected]

Imprimir