Cidadeverde.com
Últimas

Preço da gasolina vai para R$ 8,20 em Teresina com nova alta da Petrobras

Imprimir

Foto: Arquivo/Cidadeverde.com 

A Petrobras anunciou hoje (10) reajustes nos preços da gasolina, diesel e gás de cozinha.

O aumento vale para as distribuidoras e entra em vigor nas próximas horas, segundo o Sindicato dos Donos de Postos de Combustíveis do estado.

A alta chega a 24% para o preço do diesel, 18% para a gasolina e 16% no preço do gás de cozinha. 

Na prática, o preço da gasolina ficará R$ 1 mais caro a partir de amanhã. 

A gasolina gira em torno de R$ 7,20 a R$ 7,30 e o preço ficará R$ 8,20 a R$ 8,30, dependendo de cada posto. O gás de cozinha está a R$ 110 e vai para R$ 130,00. 

O Procon reforça que o consumidor deve ficar de olho contra preços abusivos e qualquer denúncia deve ligar para 127 ou 86 9 8162-8247, 86 9 8190-7983, e no e-mail: [email protected]

Matéria original

Após quase dois meses com os preços congelados, e em meio a pressões para não trazer a volatilidade do mercado externo para o Brasil, a Petrobras anunciou que vai aumentar a gasolina em 18,7%; o diesel, em 24,9%; e o gás de cozinha em 16%, reduzindo assim a defasagem da estatal em relação ao mercado internacional, que já beirava os 50%.

"Após 57 dias, a Petrobras fará ajustes nos preços de gasolina e diesel. E, após 152 dias, a Petrobras ajustará preços de GLP", informou a empresa em nota.

A partir da sexta-feira, 11, o preço médio de venda da gasolina da Petrobras para as distribuidoras passará de R$ 3,25 para R$ 3,86 por litro. Considerando a mistura obrigatória de 27% de etanol anidro e 73% de gasolina A para a composição da gasolina comercializada nos postos, a parcela da Petrobras no preço ao consumidor passará de R$ 2,37, em média, para R$ 2,81 a cada litro vendido na bomba. Uma variação de R$ 0,54 por litro.

Para o diesel, o preço médio de venda da Petrobras para as distribuidoras passará de R$ 3,61 para R$ 4,51 por litro. Considerando a mistura obrigatória de 10% de biodiesel e 90% de diesel A para a composição do diesel comercializado nos postos, a parcela da Petrobras no preço ao consumidor passará de R$ 3,25, em média, para R$ 4,06 a cada litro vendido na bomba. Uma variação de R$ 0,81 por litro.

Para o GLP, a partir da sexta, o preço médio de venda para as distribuidoras, passará de R$ 3,86 para R$ 4,48 por kg, equivalente a R$ 58,21 por 13kg, refletindo reajuste médio de R$ 0,62 por kg.

"Esse movimento da Petrobras vai no mesmo sentido de outros fornecedores de combustíveis no Brasil que já promoveram ajustes nos seus preços de venda", disse a empresa em nota, referindo-se aos aumentos promovidos este ano pela Acelen, controladora da refinaria de Mataripe, na Bahia, única refinaria vendida pela Petrobras até o momento, e que estão 27% acima do preço da estatal.

A Petrobras informou ainda, que apesar da disparada dos preços do petróleo e seus derivados em todo o mundo, nas últimas semanas, como decorrência da guerra entre Rússia e Ucrânia, decidiu não repassar a volatilidade do mercado de imediato, realizando um monitoramento diário dos preços de petróleo.

"Após serem observados preços em patamares consistentemente elevados, tornou-se necessário que a Petrobras promova ajustes nos seus preços de venda às distribuidoras para que o mercado brasileiro continue sendo suprido, sem riscos de desabastecimento", explicou a companhia.

 

 


Fonte: Estadão Conteúdo 

Imprimir