Cidadeverde.com
Geral

Strans diz não ter recebido do Setut revisão de dívida de R$ 72 milhões

Imprimir

Foto: Arquivo/Cidadeverde.com

A Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) informou ao Cidadeverde.com que até o momento, não tomou conhecimento do novo pedido de pagamento dos valores devidos pela Prefeitura de Teresina, que chega a R$ 72 milhões, protocolado nessa quarta-feira (09), pelo Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut).

De acordo com o gerente de Planejamento da Strans, Felipe Leal, o último ofício recebido foi referente ao valor de R$ 55 milhões, que ainda está no processo de análise das planilhas.   

“Esse valor de R$ 72 milhões ainda não é de conhecimento nosso. O último ofício foi de R$ 55 milhões, referente a novembro e dezembro de 2020 e todo o ano de 2021, que ainda está sendo auditado pela nossa comissão para saber se esse é o valor certo a ser pago”, aponta Felipe Leal.

Segundo o Consórcio SITT do Setut, o novo déficit financeiro é referente aos prejuízos acumulados no período de novembro de 2020 a fevereiro de 2022.

"As empresas seguem cumprindo devidamente suas obrigações e o acordo firmado com a Prefeitura de Teresina, assumidas em outubro de 2021. Contudo, a gestão municipal não tem cumprido desde janeiro de 2021, se limitando a pagar apenas o retroativo da gestão passada. Os valores calculados que resultaram num total de R$ 71.950.946,51 são referentes aos prejuízos acumulados e são necessários para garantir a manutenção dos compromissos financeiros e operacionais", disse a consultora jurídica do SETUT/SITT, Naiara Moraes.

O Setut também destacou que a cobertura do custo excedente, em relação à receita do transporte público da capital, é obrigação contratual da Prefeitura.

"Reiteramos que a cobertura do custo excedente em relação à receita apurada é obrigação contratual a ser cumprida pela Prefeitura de Teresina e questão fulcral para que o sistema possa apresentar a correta prestação de serviços", reforça Naiara Moraes.

Felipe Leal apontou que somente após a análise de todos os documentos referentes ao último pedido de pagamento, em conjunto com outros órgãos como a Procuradoria Geral do Município e Controladoria, o valor auditado será repassado à Secretaria Municipal de Finanças (SEMF).

 

Rebeca Lima
[email protected]

 

 

Imprimir