Cidadeverde.com
Esporte

Atleta da seleção, piauiense Francielton decide dar pausa no badmiton: “Evitar prejuízo maior no futuro”

Imprimir

Foto: Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte.gov.br

Francielton Farias atleta piauiense da seleção de badminton

O piauiense Francielton Farias, que integra a seleção brasileira de badminton tomou a decisão de dar uma pausa na carreira. O motivo seriam questões emocionais. A CBBD (Confederação Brasileira de Badminton) promete emitir nota sobre o assunto, houve a confirmação também por parte de pessoas do estado do Piauí que acompanham de perto a carreira o jovem e promissor atleta. Dedicado a modalidade desde criança ao lado do irmão Fabrício Farias, no momento Francielton brigava diretamente por uma vaga no ciclo olímpico Paris 2024.

Uma das primeiras confirmações vieram através das redes sociais do irmão mais novo, Fabrício Farias, também atleta da seleção e que briga para estar no próximo ciclo olímpico. Através das redes sociais escreveu palavras de apoio ao irmão e frisou que essa foi a decisão mais difícil de sua vida.

“Nem todo mundo é 100% forte, às vezes somos extremamente fracos e não tem nada de errado em dizer isso. Temos nossos momentos de fraqueza, de descontrole, de crise, e é nesses momentos que precisamos dizer para si mesmo que precisamos parar. Dar um tempo para si mesmo, dar um tempo de suas próprias paranoias. De que adianta ser bom fisicamente, mas não está bem mentalmente? Esse momento chega para todo mundo e infelizmente chegou para você irmão, mas sei que é uma das escolhas mais difíceis que você fez na vida e sei do fundo do meu coração que você precisa de um tempo. Tenho certeza que irá voltar mais forte. Quero que saiba que te amo independente de tudo e te apoio em qualquer decisão da sua vida, de cuida e bom retorno para casa”, escreveu o irmão e também atleta da seleção Fabrício Farias.

Francisco Ferraz, piauiense que por muitos anos foi presidente da CBBD e acompanha de perto a carreira de vários atletas do estado também falou sobre a decisão de pausa nas quadras do piauiense e fez questão de dizer que quando foi contactado pelo atleta deu total apoio de imediato como forma de evitar um prejuízo maior no futuro.

“Ele me ligou, falou comigo querendo pedir desculpas e eu disse logo que não tinha nada que pedir desculpas. Que esse momento ele precisa levantar a cabeça e é um momento que vale sim para ele voltar com força máxima depois. Ele alegou um cansaço, um estresse mental e pressão psicológica muito grande, uma espécie de síndrome de Burnout. A gente tem que respeitar, apoiar e sempre atender os nossos atletas e não forçar que tenha um prejuízo maior no futuro”, afirmou Ferraz.

Ser atleta de alto rendimento exige um nível e disciplina, foco e principalmente que esses atletas abram mão de inúmeros momentos, em especial ao lado dos familiares. A pressão por resultados na alta performance é atrelada diretamente a lucro, angariar patrocinadores e representar bem sua nação. Tudo isso, com o passar do tempo pode se tornar uma bomba relógio na cabeça desses atletas.

Nas olímpiadas, a ginasta Simone Biles deu alguns passos rumo a esse tema que é praticamente um tabu em torno do esporte quando desistiu de disputar suas provas nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2021. Recentemente, foi a vez do surfista brasileiro multicampeão e referência em todo mundo, Gabriel Medina, decidir se afastar das competições para cuidar da parte mental.

Você sabe o que é síndrome de Burnout?

Síndrome de Burnout ou Síndrome do Esgotamento Profissional é um distúrbio emocional com sintomas de exaustão extrema, estresse e esgotamento físico resultante de situações de trabalho desgastante, que demandam muita competitividade ou responsabilidade. A principal causa da doença é justamente o excesso de trabalho

 

 

Pâmella Maranhão
[email protected]

Imprimir