Cidadeverde.com
Últimas

Instagram ressuscita feed em ordem cronológica

Imprimir

Foto: Cidadeverde.com

O feed do Instagram vai passar por novas transformações a partir desta quarta-feira (23) em todo o mundo. Haverá três tipos de feeds:

O "Seguindo", usado no início da rede social, mas abandonado em 2016, está de volta. Nele serão mostradas apenas as postagens de quem você segue, na ordem cronológica em que elas vão ao ar.

O "Favoritos" mostrará as publicações somente das contas que você selecionar, também em ordem cronológica.

O "Página Inicial" é o que existe atualmente. Ele continuará trazendo uma mistura de conteúdos de pessoas e contas classificados por algoritmos e recomendações, de acordo com a atividade do seu perfil (como likes e interações).

A "Página Inicial" será a visualização padrão, portanto, sempre que acessar o feed, ele é que será exibido primeiro. As mudanças ocorrerão gradualmente a todos os usuários -atualmente, mais de um bilhão.

"Queremos que as pessoas tenham um controle significativo sobre sua experiência no Instagram. Cada um usa o Instagram de maneira diferente e esperamos que essas opções possam ajudar as pessoas a decidirem o que funciona melhor para elas. Além disso, realizamos pesquisas que apontaram que a nossa comunidade está mais satisfeita com um feed classificado por algoritmo, por isso não estamos padronizando a experiência de todos em um feed cronológico", afirmou a empresa em nota.

Ainda segundo a rede, o feed por algoritmo alcança mais os amigos e tem mais engajamento do que um feed cronológico.

No entanto, nos últimos anos o Instagram tem adotado uma série de medidas para tentar tornar seu ecossistema mais saudável.

Em 2019, por exemplo, a rede anunciou o "fim dos likes", em que o número de curtidas de um post não era mais exibido, com a justificativa de "tornar o Instagram um lugar onde as pessoas sintam-se confortáveis para se expressar", além de "remover a pressão sobre o sucesso de cada post".

Em maio de 2021, os likes voltaram, mas ainda há a opção para o usuário que não deseja vê-los.

Em março de 2022, o Instagram lançou, nos Estados Unidos, a Central da Família, uma área em que pais e responsáveis podem ter acesso a ferramentas de supervisão de uso como tempo gasto, controle de seguidores e acesso a denúncias.

O anúncio vem na esteira de uma das maiores crises de seus mais de 11 anos de existência, quando houve o vazamento por uma ex-funcionária de documentos internos que diziam que a empresa sabia que o app é potencialmente danoso para a saúde mental de meninas adolescentes, de acordo com reportagem publicada pelo Wall Street Journal.

A gigante de tecnologia Meta, dona do Facebook, do Instagram e do WhatsApp, está sob escrutínio público desde que a ex-funcionária Frances Haugen entregou documentos internos da empresa para a imprensa, que ficaram conhecidos como Facebook Papers.

De acordo com uma das reportagens com base nesses documentos, a rede social teria sido informada de que o Instagram piorava as questões de imagem de 1 em cada 3 meninas. As adolescentes também culpavam o Instagram por problemas de ansiedade e depressão.

Questionada, a Meta afirma que "realiza esse tipo de pesquisa para fazer perguntas difíceis" e descobrir como "melhorar a experiência das pessoas". "Assim, pesquisas como essa servem para informar, por exemplo, o trabalho que fazemos relacionado a questões como imagem corporal negativa."

Após essas críticas, o Instagram lançou em fevereiro deste ano uma ferramenta antivício que visa auxiliar os usuários que acreditam estar fazendo um uso abusivo da rede social: a Faça uma Pausa.
O novo serviço está disponível na aba "Sua atividade", no menu lateral do aplicativo. O usuário pode programar lembretes para fazer pausas a cada 10, 20 ou 30 minutos.

O Faça uma Pausa teria sido desenvolvido como parte do compromisso com experiências "positivas e significativas" na rede social. "Seguimos explorando novas ideias, como a de encorajar as pessoas a olhar para outros tópicos se elas estiverem navegando pelo mesmo tema por um tempo", afirmou um porta-voz da Meta.

Fonte: Folhapress (Mateus Camillo)

Tags: Instagram
Imprimir