Cidadeverde.com
Últimas

Nova estrutura do CAP terá atendimento com pista sensorial

Imprimir

Fotos: Divulgação/Ascom

O atendimento à comunidade estudantil que necessita do desenvolvimento pedagógico especializado será ampliado com a modernização do Centro de Apoio ao Deficiente Pedagógico (CAP), localizado no bairro Monte Castelo, zona Sul de Teresina.

Especializado no Apoio Pedagógico a Pessoas com Deficiência Visual, o CAP exerce um papel fundamental para os 69 estudantes matriculados, com faixa etária a partir de 7 anos, que acessam os serviços disponibilizados pela instituição.

O secretário de Estado da Educação (Seduc), Ellen Gera, esteve no centro acompanhando a finalização das adequações dos novos espaços.

“A Seduc conta com diversos centros de educação para as pessoas que tem necessidades especiais ou algum tipo de deficiência. Estará disponível, nesse primeiro momento, três blocos de salas de aulas com biblioteca, apoio administrativo e até o fim do mês de abril nós devemos fazer inauguração do ambiente”, afirmou.

Uma das novidades dos espaços será o estímulo a independência dos estudantes quanto a orientação, mobilidade e atividades da vida diária, como explicou Ellen Gera.

“Um dos espaços interessantes que estará disponível será a pista sensorial. É um espaço voltado ao desenvolvimento das habilidades de locomoção no qual simula os diferentes terrenos como brita, areia fina, pedra portuguesa, grama e madeira, para aprenderam e diferenciar na rua as diferentes texturas”, detalhou o secretário.

A nova estrutura possui também espaço para cursos de soroban, laboratório de informática, sala de produção braile, sala de professores, salas de aula, sala de atividades de vida diária, sala de técnico de terapia ocupacional, sala para técnico fonoaudiólogo, sala para técnico musicografia, sala de psicologia, biblioteca e sala para capacitação.

Para o atendimento das pessoas com baixa visão, pessoas cegas, cegos autistas, cegos cadeirantes e outras patologias, serão disponibilizadas atividades para o desenvolvimento pedagógico, como o ensino ao sistema Braille, a estimulação sensorial.

Em 23 anos de experiência no atendimento especializado, a diretora Maria Lilla Santos, comemorou a ampliação do atendimento.

“Com a orientação do CAP, o estudante terá todo o amparo necessário para o seu pleno desenvolvimento acadêmico e o acompanhamento de uma equipe multiprofissional como psicólogos, fisioterapeutas, entre outros. A orientação para a mobilidade e vida diária será uma das novidades com os espaços sensoriais para que os estudantes consigam sua independência e é uma alegria que teremos esta ampliação”, afirmou a diretora.

 

Da Redação
[email protected]

 

Imprimir