Cidadeverde.com
Esporte

Após perder na estreia, Santos se prepara para segunda rodada da Sul-Americana

Imprimir

O Santos recebe a Universidade Católica, do Equador, nesta quarta-feira (13), às 19h15, em jogo pela segunda rodada da fase de grupos da Copa Sul-Americana.

Foto: Ivan Storti / Santos FC

Após perder o jogo de estreia contra o Banfield, por 1 a 0, na terça-feira (5), e empatar na estreia Campeonato Brasileiro, contra o Fluminense, no sábado (9), o técnico Fabián Bustos deve testar novos esquemas e formações táticas para a disputa desta quarta-feira, como tem feito nas últimas partidas.

Bustos tem estratégia semelhante à de Jorge Sampaoli para definir o time titular do Santos. O também argentino treina mais de uma equipe e formação tática e avisa os atletas horas antes de a bola rolar.

Foi assim à véspera da partida contra o Fluminense no Maracanã, pela abertura do Brasileiro. O time do litoral paulista trabalhou nos esquemas 4-3-3 e no 4-3-1-2. No próprio sábado (9), Bustos escolheu a segunda opção e avisou na preleção.

Os próprios jogadores, pelos sinais dados na sexta, acreditavam que o 4-3-3, com Willian Maranhão, Rodrigo Fernández e Ricardo Goulart no meio e Jhojan Julio, Lucas Braga e Marcos Leonardo no ataque.

A decisão foi pelo 4-3-1-2, uma variação testada no CT Rei Pelé, com Willian Maranhão, Rodrigo Fernández e Vinicius Zanocelo como volantes, Jhojan Julio como meia e Ricardo Goulart e Marcos Leonardo à frente.

Os esquemas testados foram diferentes da derrota por 1 a 0 para o Banfield, na Argentina, quando Fabián Bustos armou o Santos no 3-4-3 na Sul-Americana. O treinador é adepto de estudar o adversário e depois decidir como o time vai atuar.

"Jogo passado [Banfield, pela Copa Sul-Americana] fomos no 3-4-3 e não tivemos jogo ofensivo pelo lado. Neste jogo [Fluminense], fomos no 4-3-1-2, com Jhojan Julio [no meio] com Goulart e Marcos Leonardo [no ataque]. 

Depois de tanto tempo que não ficávamos sem sofrer gol, ficamos hoje e é um passo importante. Agora, falta gerar mais jogo, gerar mais chances de gol, mais gente no ataque. Hoje [sábado], faltou a tranquilidade com a bola.

Quem me conhece sabe que não jogamos sempre da mesma maneira, depende de onde jogamos, o que nos convêm e o que buscamos", falou Bustos.

Fabián Bustos ficou mais confortável para alternar os jogadores e as formações depois da intertemporada no CT Rei Pelé.

O Santos foi eliminado na primeira fase do Campeonato Paulista e teve duas semanas de preparação antes de estrear na Sul-Americana e no Campeonato Brasileiro. Até o Fluminense, as opções do técnico se baseavam em variações do 4-3-3.

Em seis jogos no comando do Santos, Bustos soma uma vitória, três empates e duas derrotas.

Jorge Sampaoli mostrou muitas variações táticas no Santos em 2019. Como o alvinegro litorâneo foi eliminado precocemente na Sul-Americana e Copa do Brasil, o time teve semanas livres de preparação para quase todos os jogos do Campeonato Brasileiro.

O argentino variava as equipes durante a semana e só confirmava a escalação no dia da partida. Sampaoli jogou com dois e três zagueiros, com zagueiros como laterais, com um ou dois volantes, dois centroavantes...

Às vezes dava muito certo, como no 6 a 1 contra o Goiás, com o lateral-esquerdo Felipe Jonatan como meio-campista. Ou dava muito errado, com na derrota por 4 a 0 para o Palmeiras com um 4-4-2 com o zagueiro Lucas Veríssimo como lateral-direito.

RELACIONADOS CONTRA UNIVERSIDAD CATÓLICA

Bustos relacionou 24 jogadores do Santos para a partida contra a Universidad Católica nesta quarta-feira.

Os atacantes Ângelo (torção no tornozelo) e Léo Baptistão (desconforto na panturrilha) estão relacionados. O centroavante Marcos Leonardo, suspenso pela Conmebol, é desfalque, assim como o goleiro John (em transição) e o zagueiro Kaiky (fratura no nariz).

O goleiro João Paulo sofreu uma pancada no joelho e é dúvida, mas a chance maior é de conseguir atuar. Por via das dúvidas, Paulo Mazoti foi chamado e será cortado se o capitão for titular. A reposição imediata é Diógenes.

Fora contra o Fluminense por causa do limite de cinco estrangeiros, o meia Carlos Sánchez ficará no banco de reservas. O lateral-direito Auro e os atacantes Marcos Guilherme e Rwan não foram convocados.

Fabián Bustos treinou mais de uma escalação no CT Rei Pelé e só definirá o time nesta quarta, horas antes da bola rolar. O argentino é adepto de escolher o 11 inicial de acordo com o estudo do adversário.

O possível Santos é: João Paulo, Madson, Maicon, Eduardo Bauermann e Lucas Pires; Willian Maranhão, Rodrigo Fernández e Vinicius Zanocelo (Lucas Barbosa); Jhojan Julio; Ricardo Goulart e Bryan Angulo (Lucas Braga).

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Imprimir