Cidadeverde.com
Geral

Cozinheiro é preso após fazer ameaças contra juiz em Teresina

Imprimir

Um cozinheiro, de identidade não revelada, foi preso na terça-feira (12) após fazer ameaças contra um juiz, que determinou que ele usasse uma tornozeleira eletrônica e outras medidas cautelares em um processo de violência doméstica, da Lei Maria da Penha.

De acordo com o delegado Matheus Zanatta, da Gerência de Polícia Especializada (GPE), o homem responde na Justiça um processo por agressão contra a ex-namorada. O juiz do caso, de identidade não revelada, aplicou várias medidas cautelares, após o acusado descumprir uma medida protetiva contra a ex. Entre essas medidas estava o uso de uma tornozeleira eletrônica e o recolhimento em casa até às 23h.

Não aceitando as medidas implementadas, o cozinheiro acabou mandando áudios para a Defensoria Pública fazendo ameaças e pedindo o endereço do juiz, pois queria tratar pessoalmente com ele. O juiz ao tomar conhecimento das ameaças, revogou as medidas cautelares e decretou a prisão preventiva.

“Ele já respondia pela Lei Maria da Penha por ter lesionado a ex-companheira e estava com tornozeleira eletrônica em virtude desse processo e começou a mandar alguns áudios para a  Defensoria Pública ameaçando o juiz do processo e também perguntando qual era o endereço do juiz para tentar resolver as coisas com ele, em tom de ameaça. Esses áudios foram encaminhados para o juiz, que revogou as medidas alternativas para a prisão e decretou a prisão preventiva e nós conseguimos fazer o cumprimento”, explicou o delegado Matheus Zanatta.

Segundo o delegado, o acusado foi preso no bairro Poti Velho, na zona Norte de Teresina e chegou a chorar ao ser informado da prisão.

“Ele foi preso no bairro Poti. No momento da prisão ele não resistiu, foi tranquilo. Ele lamentou muito por estar sendo preso e chorou. Logo em seguida foi encaminhado para a Central de Flagrante para ser feito os procedimentos legais”, informou Zanatta.

Bárbara Rodrigues e Tiago Melo
[email protected]

Imprimir