Cidadeverde.com
Vida Saudável

Teresina vai encerrar leitos exclusivos para Covid-19 após redução de casos

Imprimir

Foto: Arquivo/Cidadeverde.com

O presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina, o médico Gilberto Albuquerque, afirmou que com a redução dos casos de Covid-19, está ocorrendo uma redução dos leitos destinados exclusivamente para Covid-19 na rede municipal, que vão passar a atender outras demandas. Até o final deste mês deve ser encerrada a UTI do Hospital do Monte Castelo, e o objetivo é encerrar em breve todos os leitos destinados para o tratamento da doença.

Segundo o médico, como estão sendo registrados poucos casos de Covid-19, está ocorrendo uma redução nos leitos para o tratamento da doença na rede municipal. No Hospital de Urgência de Teresina (HUT) os leitos já foram encerrados e em breve será a vez do Hospital do Monte Castelo, localizado na zona Sul de Teresina, onde toda a sua estrutura é destinada apenas ao atendimentos de síndromes gripais.

“Devemos fechar no final do mês os leitos de UTI do Monte Castelo. Já fechamos os leitos do HUT [Hospital de Urgência de Teresina], lá tinha 15, baixamos para 10, 5, e 3 e agora encerramos lá. No Monte Castelo tem ainda 22 leitos clínicos e 10 de UTI, agora vamos encerrar lá o de UTI, e as enfermarias vamos diminuir, mas se Deus quiser logo vamos encerrar também”, explicou ao Cidadeverde.com.

Em Teresina, além do Hospital do Monte Castelo, a Unidade Básica de Saúde do Gurupi, da zona Sudeste, é a única da cidade que faz atendimento exclusivo para casos de Covid-19, e ainda deve continuar em funcionamento.

Com a diminuição dos casos de Covid-19, agora o foco da Fundação Municipal de Saúde é o surto de dengue que está atingindo a cidade de Teresina e vários estados brasileiros, com aumento de complicações no fígado. O que também está aumentando a necessidade de atender a demanda dos pacientes por leitos.

“O foco agora está sendo a dengue, pois está pegando muitas pessoas, e ainda está aparecendo ainda mais complicações relacionadas ao fígado. A dengue sobe a cada dois anos, e esse é o ano de subir. Quando diminuir as chuvas, deve diminuir os casos”, afirmou.

Em Teresina, de janeiro a 11 de abril deste ano, já foram registrados 855 casos de dengue. Em 2011, nesse mesmo período, foram 146 casos. Ou seja, um aumento de 478% nos casos. Também foram registradas três mortes neste ano.

 

Bárbara Rodrigues
[email protected]

Imprimir