Cidadeverde.com
Últimas

Mãe revela que filho de 9 anos não quer voltar para escola após denunciar estupro

Imprimir

Foto: Arquivo Cidadeverde.com 

A mãe de uma criança de nove anos denunciou, na última quarta-feira (20), um professor de uma escola da rede municipal localizada no bairro Angelim, zona Sul de Teresina, após o filho revelar à irmã ter sofrido estupro e violência física nas dependências da unidade escolar.  

“Descobri a situação porque olhei o bumbum dele após ele contar que estava assado. A irmã dele perguntou o que aconteceu e ele contou sobre a situação. Fomos na delegacia e fizemos o boletim de ocorrência. No dia seguinte fizemos o exame de corpo e delito que deu positivo para o abuso”, relatou a mãe ao Cidadeverde.com.

O caso está sendo investigado pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA). Após a denúncia, a Secretaria Municipal de Educação (Semec) informou, através de nota, que afastou o professor e que tomou todas as providências cabíveis. Confira o comunicado na íntegra:

Nota

A Semec informa que já tomou todas as providências cabíveis, dentre elas afastando o professor investigado e resguardando os demais docentes e discentes, bem como à família.

Qualquer outra informação sobre o inquérito deve ser com o DPCA.

A família da criança, no entanto, contesta a informação. “Após as agressões, ele contou para uma professora, que não fez nada, só disse que ia conversar com o professor. Até agora a escola não disse nada pra mim, não deu nenhum suporte para a gente. Só quero justiça, que ele seja preso. Ele não pode dar aula, mas ontem mesmo estava no colégios. Quero justiça, que ele vá preso. Ele não pode dar aula, mas ontem mesmo ele estava no colégio.", afirmou a mãe.

Os abusos

De acordo com os relatos da criança, as agressões teriam acontecido por volta do último dia 25 de março, quando ainda tinha apenas oito anos. “Ele foi ao banheiro e lá o professor começou a espancar meu filho, chutou a barriga dele. Baixou a roupa dele e fez ameças, se contasse para mim ou para o pai dele ia fazer maldade comigo, iria me matar”, contou a mãe. 

Ela revela ainda que o filho está bastante abalado pela situação. "Ele ainda brinca com outras crianças, mas às vezes fica triste. Ele quer trocar de escola, pediu para mudar, não quer mais voltar para lá", mencionou.

 

Breno Moreno
[email protected]

Imprimir