Cidadeverde.com
Geral

Golpistas usam foto de arcebispo para pedir dinheiro e Arquidiocese faz alerta

Imprimir

Foto: Renato Andrade/Cidadeverde.com

A Arquidiocese de Teresina informou nesta quarta-feira (27) que golpistas estão utilizando o nome e a imagem do arcebispo metropolitano, Dom Jacinto Brito, solicitando dinheiro de fiéis para uma suposta aquisição de medicamentos.

Em nota, a instituição destacou que não está realizando nenhuma campanha de arrecadação ou utilizando esse tipo de abordagem.

“Enquanto Igreja Particular de Teresina, não estamos realizando nenhuma campanha de arrecadação de recursos para medicamentos e não utilizamos de maneira alguma deste tipo de abordagem”, ressaltou.

A Arquidiocese relatou ao Cidadeverde.com que não sabe se houve vítimas e que não foi registrado Boletim de Ocorrência.

A instituição fez um alerta para que a população esteja atenta às tentativas de golpe e que entrem em contato com os canais oficiais da Arquidiocese, o Instagram @arquidiocesedeteresia ou o site arquidiocesedeteresina.org.br,  em caso de dúvidas.

Confira nota na íntegra:

A Arquidiocese de Teresina informa que pessoas mal intencionadas estão utilizando o nome e a imagem de Dom Jacinto Brito, arcebispo metropolitano, solicitando dinheiro de fiéis para uma suposta aquisição de medicamentos.

Enquanto Igreja Particular de Teresina, não estamos realizando nenhuma campanha de arrecadação de recursos para medicamentos e não utilizamos de maneira alguma deste tipo de abordagem.

Pedimos a todas as pessoas de boa vontade que fiquem atentas às tentativas de golpe, e em caso de dúvidas, entrem em contato através dos meios de comunicação oficiais da Arquidiocese, não realizando doações sem a certeza da sua adequada destinação.

Lembramos que todas as campanhas de arrecadação são divulgadas previamente nas celebrações e em nossos perfis oficiais nas redes sociais, bem como através de ofícios encaminhados e assinados pelos padres, diáconos ou pelo próprio arcebispo.

 

Como denunciar

Vítimas de golpes podem denunciar o crime na Delegacia de Crimes de Informática, localizada na Rua Gov. Arthur Vasconcelos, 971, bairro Marquês, ou nos distritos policiais dos bairros. 


Rebeca Lima
[email protected]

Imprimir