Cidadeverde.com
Esporte

Vice-artilheiro do São Paulo, Luciano cresce na disputa por companhia de Calleri

Imprimir

Em franca evolução na temporada, Luciano foi decisivo no empate por 1 a 1 contra o Fortaleza, pelo Brasileirão, ao sair do banco e balançar as redes, ajudando o São Paulo a voltar com um ponto para a capital paulista.

Após alcançar a vice-artilharia da equipe em 2022, mesmo entrando como substituto ao longo de dez dos 17 jogos no ano, o camisa 11 ganha mais créditos entre a comissão técnica e a torcida, mostrando que pode ser a companhia ideal de Jonathan Calleri no ataque são-paulino o argentino é o maior goleador do Tricolor na temporada, com 13 gols.

Dos cinco gols anotados nesta temporada, inclusive, quatro ocorreram nas últimas oito partidas -em apenas três destas o camisa 11 iniciou como titular.

Para o tento diante o Fortaleza, bastaram pouco mais de dez minutos, uma vez que o atacante veio do banco de reservas e entrou após o intervalo no lugar de André Anderson.

No lance, após passe preciso de Igor Gomes, Luciano fez o 'facão' por trás da zaga do Leão, e apareceu livre para dominar com tranquilidade e chutar no canto esquerdo de Max Walef.

O atacante relatou que se exige para realizar essa movimentação, e se mostrou grato ao companheiro pela ótima assistência. "Eu me cobro muito de fazer esses facões. Fui agradecer, sim, é um grande jogador e está evoluindo. Quero aproveitar para agradecer mais uma vez", concluiu.

A jogada do camisa 11, que abriu o placar na capital cearense, rendeu elogios do técnico Rogério Ceni após a partida.

"No nosso gol, o Igor volta centralizado ao segundo tempo, com Patrick de um lado e Alisson do outro. E ele domina esse passe rápido. Muito mérito do Luciano no movimento do facão, teve calma, dominou e finalizou bem", afirmou.

NO BRASILEIRO, TOCA NO LUCIANO QUE É GOL

Considerado somente o desempenho no Brasileirão 2022, a fase de Luciano impressiona mais ainda.

Segundo a plataforma de estatísticas SofaScore, o atacante chutou três vezes a gol na competição, e balançou as redes nas três oportunidades - ou seja, seu aproveitamento é de 100%.

Além disso, tal qual ocorreu contra o Fortaleza, ontem, quando saiu do banco de reservas, o atacante também entrou como suplente diante de Athletico-PR e Santos, jogos em que atuou por menos de 30 minutos.

Somadas as três partidas, Luciano leva em média 32 minutos para deixar sua marca nessa edição da Série A.

LESÕES

Depois de uma temporada aquém do esperado em 2021, diante das consecutivas lesões que o tiraram de importantes jogos do Brasileirão e da Libertadores, Luciano dá mostras de que pode retomar o grande momento vivido dois anos atrás.

O atacante marcou 21 gols em 38 jogos em 2020. Desses, 18 foram anotados na Série A, que lhe renderam a artilharia da competição.

No ano passado, porém, teve que conviver com as lesões na coxa e perdeu espaço no time titular, ao qual ainda luta para retornar de forma absoluta. Se mantiver a média apresentada desde o início de abril, Luciano pode assegurar seu espaço para formar a dupla de ataque com Calleri.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir