Cidadeverde.com
Picos

Familiares e amigos de "Baiano" realizam manifestação pedindo justiça

Imprimir

Fotos: Paula Monize/ cidadeverde.com/picos

Na manhã desta segunda-feira (16) familiares e amigos de Robson Nascimento Barreto, o “Baiano”, assassinado por arma de fogo, realizaram uma manifestação pelas ruas centrais de Picos pedindo justiça. 

No ato, os familiares munidos de faixas e utilizando um carro de som falaram da dor de perder o "Baiano" e cobraram que o suspeito do crime, o advogado de iniciais R.B.O.N., venha responder pelo caso em Picos. O mesmo se encontra preso na Capital Teresina.

A mãe de "Baiano", Neuraci Nascimento Barreto, veio do Estado da Bahia para a manifestação e frisou que seu filho era um homem de bem, que há 22 anos residia em Picos sem ter históricos de confusões.

“Isso que aconteceu foi a maior surpresa da minha vida. Meu filho conviveu aqui por 22 anos, nunca recebi uma queixa, nunca lhe deixei faltar nada. Apareceu esse bandido para executar meu filho, ele não matou, executou. Fez meu filho pagar 600 reais naquele trailer. Todo mundo está admirado que a OAB ainda não caçou sua carteira. Ele não matou um qualquer, nós não vamos desistir”, disse Neuraci Nascimento Barreto.

Neuraci cobrando por Justiça em frente à sede da OAB de Picos

O irmão do "Baiano", Wellington Nascimento Barreto, cobrou que o suspeito venha responder pelo crime na cidade de Picos.

“Estamos felizes que a Justiça agiu, mas queremos que o advogado venha cumprir a pena dele aqui, ele tem que ser julgado aqui. Foi aqui que ele me matou meu irmão. Se ele tá com medo da população porque ele não pensou antes, um cara advogado roubar meu irmão, matar meu irmão, levou o celular e ainda subtraiu cinco mil reais que estava na carteira”, pontuou.

Wellington Barreto ainda mencionou uma possível motivação para o assassinato do irmão. 

“Meu irmão era uma pessoa muito conhecida aqui na cidade. Pelo que ficamos sabendo meu irmão deixou dois reais de troco pra ele e ele se sentiu ofendido. Estamos arrasados porque ele era o caçula da família, meu irmão estava na Bahia cuidando do meu outro irmão. Quando ele retorna acontece isso”, concluiu.

Wellington Barreto

Robson Nascimento Barreto foi assassinado no dia 09 de abril com um tiro de arma de fogo na cabeça. O crime aconteceu quando vítima e suspeito bebiam juntos num quiosque-bar, localizado na Avenida Beira Rio.

Filhos de Robson participaram da manifestação

O delegado titular da Delegacia de Homicídios, Tráfico de Drogas e Latrocínio, Agenor Lima, pontuou que na última sexta-feira (13) foi concluído o inquérito polícial, indicando o advogado pelo crime de Homicídio Qualificado por motivo fútil. O delegado ainda apresentou novos fatos, onde a vítima foi alvejada por cinco disparos e não somente um tiro. Em se tratando sobre o suspeito continuar preso em Teresina, Agenor explica que o mesmo alegou estar sofrendo ameaças. Fato que a equipe de investigação do caso não tomou conhecimento.

Paula Monize
[email protected]

Imprimir