Cidadeverde.com
Esporte

Acusação de racismo atinge Corinthians embalado para semana decisiva

Imprimir

O empate por 2 a 2 do Corinthians com o Internacional, jogo válido pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro, ficou marcado pela acusação de injúria racial feita pelo volante Edenilson contra o lateral português Rafael Ramos. 

Foto - Rodrigo Coca/Agência Corinthians

Em meio a esse momento conturbado, o Corinthians tem pela frente uma sequência de jogos que pode definir o rumo e o clima da equipe ao longo da temporada.

Isso porque o time alvinegro encara o Boca Juniors e o Always Ready pela Libertadores, sendo que entre essas duas partidas encara o clássico contra o São Paulo.

O Corinthians vai à Argentina para enfrentar o Boca Juniors nesta terça-feira (17), às 21h30 (de Brasília), na Bombonera, pela quinta rodada do grupo E da Libertadores. No primeiro encontro entre os times, na terceira rodada, acabou em vitória do clube paulista, por 2 a 0.

Um deslize nos dois confrontos podem tirar o Corinthians da próxima fase da Libertadores, o que seria um enorme tropeço, tanto esportivamente como financeiramente.

Já o clássico pode ser um termômetro para o técnico português Vítor Pereira, que não está com um retrospecto positivo em duelos regionais desde que assumiu o alvinegro.

O que dá força para o clube paulista é o retrospecto recente na temporada, já que perdeu apenas uma vez nos últimos 11 jogos. São sete vitórias e três empates, sendo a única derrota para o Palmeiras por 3 a 0, pelo Campeonato Brasileiro.

No embalo positivo, o clube parece não ter se abalado com o incidente. Em entrevista após o confronto, o diretor de futebol alvinegro Roberto de Andrade defendeu Rafael Ramos. Segundo o cartola, o lateral disse à direção do clube que teria falado um palavrão, mas não uma ofensa racista.

"Acreditamos no que o Rafael disse. Ele repetiu as palavras que disse para o Edenílson. Ele pode ter entendido errado. Não vamos julgar ninguém antes das coisas serem esclarecidas. Nós fomos ao vestiário do Inter, e eles conversaram. Aparentemente, se entenderam", disse.

O Corinthians emitiu uma nota oficial, e o próprio Rafael se pronunciou. "No fim do jogo fui ter uma conversa com ele, tivemos uma conversa tranquila. Expliquei o que tinha acontecido, ele explicou o que tinha entendido. 

Expliquei a verdade. Ele mostrou receio de passar por mentiroso, e expliquei a ele que ele não é um mentiroso, que apenas entendeu errado. Apertamos a mão, e desejo boa sorte a ele", disse.

Rafael Ramos, inclusive, viajará com a delegação que enfrentará o Boca na terça-feira. No entanto, o jogador não está inscrito na Libertadores, e não poderá disputar a partida.

Outro desfalque confirmado no time alvinegro é o lateral Fagner, que sofreu um entorse no joelho na partida contra o Deportivo Cali. Mesmo apresentando uma melhora, o jogador não foi liberado para a viagem a Buenos Aires. 

Com João Pedro também em recuperação, uma provável escalação inicial do Corinthians tem: Cássio; Gil, João Victor e Fábio Santos; Gustavo Mosquito, Du Queiroz, Maycon, Giuliano (Renato Augusto) e Lucas Piton; Róger Guedes (Willian) e Jô.

BOCA JUNIOR EM MEIO A DESFALQUES E FINAL ARGENTINA

O Boca Juniors vai enfrentar o Corinthians, nesta terça-feira, às vésperas do jogo mais importante de sua temporada: a final do Campeonato Argentino no domingo (22), contra o Tigre.

Os argentinos têm dois desfalques para a partida na Bombonera, que pode ser decisiva para os dois times na fase de grupos da Copa Libertadores.

O zagueiro Marcos Rojo e o atacante Sebastián Villa estão fora do jogo, ainda suspensos por uma confusão na Libertadores do ano passado.

Em compensação, o técnico Sebastian Battaglia agora tem à disposição o zagueiro e capitão Izquierdoz, que no mês passado não enfrentou o Corinthians por causa de uma cirurgia no pé esquerdo.

Izquierdoz jogou cerca de meia hora no sábado (17), na vitória nos pênaltis sobre o Racing que rendeu vaga na final. O natural é que, contra o Corinthians, ele assuma a vaga de Rojo na zaga. Já no ataque, Eduardo Salvio é o favorito para herdar o lugar de Villa ao lado de Benedetto.

Desta forma, o Boca Juniors deve entrar em campo com Rossi; Advíncula, Zambrano, Izquierdoz e Fabra; Óscar Romero, Varela, Pol Fernández e Medina (ou Ramírez); Salvio e Benedetto.

É basicamente o mesmo time que enfrentou o Racing no sábado, salvo as ausências por suspensão. Já em relação ao Corinthians e Boca, que terminou em vitória por 2 a 0 do time paulista, o time argentino volta a ter o goleiro Rossi e também Benedetto em melhores condições físicas.

O time alvinegro paulista lidera a chave com sete pontos e é seguido pelo próprio Boca (seis). Os outros dois concorrentes, Deportivo Cali (cinco pontos) e Always Ready (quatro), enfrentam-se na quinta-feira (19), na Colômbia.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Imprimir