Cidadeverde.com
Geral

Pai de Tainah contesta versão de legitima defesa: "ela pediu socorro"

Imprimir

Foto: Arquivo Pessoal

O jornalista Marcelo Rocha, pai da analista de sistemas Tainah Luz Rocha, de 27 anos, morta após ser esfaqueada no último sábado (14) no bairro Mocambinho, contou ao Cidadeverde.com que contesta a versão de legitima defesa apresentada por Geovana Thais, suspeita do crime, em razão do estado que sua filha foi encontrada.

“Se deixar a Tainah com sete ou mais facadas, for legitima defesa por parte da Geovana e ou por parte da Fernanda, eu fico imaginando como iria ficar a Tainah, se a Giovana e ou a Fernanda estivessem atacando a Tainah”, conta Marcelo.

Segundo Marcelo Rocha, um laudo do Hospital de Urgência de Teresina (HUT), para onde Tainah foi levada, apontou sete perfurações no seu corpo, porém, o médico-legista do Instituto de Medicina Legal (IML), relatou que já havia encontrado trezes perfurações no corpo da jovem.

“O HUT apresentou um documento colocando sete perfurações, isso na segunda-feira. Quando eu fui com o advogado no IML, para a liberação do corpo, fomos falar com o perito, e o perito informou que já havia visto treze facadas”, disse o jornalista.

O pai de Tainah Rocha acrescentou ainda que se dirigiu até a residência de Fernanda Ayres, ex-namorada de Tainah e onde ocorreu o crime, para conversar com vizinhos. Uma vizinha informou a ele que ao encontrar a analista ensanguentada no chão, a jovem pediu para que tirassem ela dali porque iriam matá-la.

“Depois que minha filha foi enterrada, eu comecei a ter contato com vizinhos lá no Mocambinho, duas vizinhas ouviram gritos de socorro na rua e elas olharam pela fresta do portão e viram a Fernanda sentada na porta da casa dela. Umas delas ficou com a Fernanda e outra entrou na casa e viu a Tainah deitada no terraço com a roupa cheia de sangue. Segundo a vizinha, a Tainah disse ‘me tira daqui, me tira daqui que elas vão me matar’, ela falou no plural, se referindo a Fernanda e a Geovana”, relatou Marcelo.

Ontem (18), os vizinhos foram ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) para prestar depoimento. Os relatos devem ajudar a Polícia a esclarecer a dinâmica do episódio, que resultou na morte da jovem.

O caso é investigado pela delegada Nathalia Sampaio de Figueiredo, da Delegacia de Feminicídios do DHPP.

Marcelo Rocha informou ainda que o seu DNA deve ser colhido para comparar com as manchas de sangue encontradas no local do crime e indicar a quem pertencem.  

O crime 

Tainah Luz Brasil Rocha morreu nesta segunda-feira (16) após ser esfaqueada no último sábado (14). Tainah é filha do primeiro casamento do jornalista Marcelo Rocha, proprietário do site Parlamento Piauí. Ela morava em Curitiba e estava em Teresina visitando a família.

Marcelo Rocha contou que a filha estava na casa de uma colega de nome Fernanda Aires, houve uma discussão e ela foi golpeada com sete facadas. 

“O que estamos sabendo é que por volta de 2h30, 3h da madrugada, houve uma discussão, bate-boca, e foram ouvidos gritos. A Tainah foi vista caminhando no terraço da casa sangrando e pedindo socorro. Ela foi levada para o HUT (Hospital de Urgência de Teresina) e veio a óbito hoje”, contou o pai.


Rebeca Lima
[email protected]

 

Imprimir