Cidadeverde.com
Política

Antônio José Lira e Ismael voltam a protagonizar embate e Conselho de Ética pode ser acionado

Imprimir

Os vereadores Antônio José Lira (Republicanos) e Ismael Silva (PSD) voltaram a protagonizar um embate durante discursos na sessão da Câmara Municipal desta quarta-feira (25). O embate entre os parlamentares teve início na sessão anterior, devido a um projeto de lei que proíbe a inauguração e a entrega de obras públicas incompletas ou que, embora concluídas, não atendam ao fim que se destina em Teresina. 

Desta vez, o vereador Dudu Borges (PT) também fez uma fala, pontuando que as declarações dadas por Ismael Silva em um vídeo publicado nas redes sociais seria motivo para que o Conselho de Ética seja acionado. Segundo o petista, na fala em que deu, Ismael Silva deixou a entender que a vinda de Antônio José Lira para à Câmara foi fruto de um acordo entre o presidente Jeová Alencar (Republicanos) e o Palácio da Cidade. 

Logo após, em discurso na Tribuna nesta manhã, Antônio José Lira afirmou que Ismael Silva já teve cargos comissionados em gestões. O parlamentar relembrou situações em que, segundo ele, a Prefeitura de Teresina apresentou irregularidades e acusou o Ismael Silva de ter ficado calado nesta época. 

Ele fez um ato colocando um esparadrapo na boca para ilustrar a acusação. O vereador ainda comparou Ismael Silva com o ex-governador de São Paulo, o chamando de “João Dória do Piauí”. 

“O vereador Ismael Silva nesta Casa, durante um ano e meio, caladinho com os terceirizadozinhos, com a Ouvidoriazinha bacana, com 14 cargos comissionados. Tudo tava bom. O processo estava ganhando bem, o ônibus estava funcionando, a cidade, Ave Maria, uma Mesopotâmia […] vereador, faça uma terapia, já que você lembra o Dória, vá dançar tango. Inveja mata, a gente tem que viver feliz. A acusação que fez sobre arranjo, respeite a minha história”, disse Antônio José Lira. 

Fotos: Paula Sampaio/Cidadeverde.com 

Ismael Silva também fez uma fala durante a sessão, e lamentando a situação, falou em acionar o Conselho de Ética da Câmara. Ele fez menção a famosa frase do ministro Luís Roberto Barroso, do STF: “me deixe fora desse mal sentimento, uma mistura de mal com pitadas de psicopatia”. 

“Antes mesmo do vereador Antônio José Lira estar nessa Casa, ele havia falado contra essa Casa, dizendo que ela estava rendida e agachada para o Palácio da Cidade. Essa mudança de postura e esse posicionamento agressivo, eu não vou entrar batalha de ataques. Peço que me deixe de fora parafraseando Luís Roberto Barroso me deixando desse mal sentimento, uma mistura de mal com pitadas de psicopatia […] Quero lamentar esse ataques e de maneira ordeira espero que o nosso Conselho de Ética esteja atento, não só ao que o Ismael disse dentro dessa Casa, mas ao que é dito dentro dessa Casa a ataques pessoais, porque isso é inadmissível”, destacou. 

Antônio José Lira deixou a sessão logo ao fim dela e Ismael Silva não quis gravar entrevistas. Em conversa reservada com jornalistas, o parlamentar destacou que irá analisar os fatos e que realmente estuda acionar o Conselho de Ética.

 

 

 

Flash Paula Sampaio
[email protected] 

 

Imprimir