Cidadeverde.com
Geral

Cálculo da Eturb aponta tarifa de ônibus de R$ 6,40, mas prefeito analisa proposta

Imprimir

Foto: Renato Andrade/ Cidade Verde

O presidente da Empresa Teresinense de Desenvolvimento Urbano (Eturb), João Duarte, o Pessoinha (Republicanos), afirmou nesta sexta-feira (27) que os dados apresentados pelos empresários de ônibus para pedir aumento na tarifa do transporte coletivo não têm consistência. 

O gestor informou que o valor identificado, conforme o levantamento feito por equipe de trabalho formada na Eturb, é de R$ 6,40 para a tarifa de ônibus. O reajuste apresentado pelo Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut) eleva a passagem de R$ 4,00 para R$ 7,00 ou R$ 8,00.

Pessoinha acrescentou também que o levantamento ainda será encaminhado ao prefeito Dr. Pessoa (Republicanos). O advogado ponderou sobre a necessidade do subsídio ao transporte público, mas acrescentou que o valor concedido tem que ser justo.    

“A gente entende que a tarifa técnica está aproximadamente R$ 6,40 e vamos levar para a apreciação do prefeito e ele vai decidir a questão do subsídio. Em nenhum lugar do mundo ele vive sem subsídio, mas entendemos que temos que ser justos e mostrar para a população e pagar esse valor para as empresas”, destacou.  

“FALTA TRANSPARÊNCIA”, DIZ PRESIDENTE DA ETURB 

Pessoinha fez duras críticas a forma como a bilhetagem eletrônica era administrada na capital. Ele falou que existia uma grande falta de transparência. Na avaliação em que fez, atribuiu o vácuo de ônibus em determinados locais da cidade à esse apagão de dados.

“Foi solicitado no valor de R$ 8,10 pelo Setut. A gente fez um levantamento prévio e constatou que a maioria dos dados que foi apresentados não tem consistência. Isso é reflexo de falta de transparência”, disse. 

MUNDAÇAM COMEÇAM EM JUNHO 

O presidente da Eturb pontuou que começará a colocar em prática as mudanças na comercialização da bilhetagem eletrônica em junho. 

“Teremos um formato mais transparente e vamos poder modernizar o sistema e operar melhor para agir em situações onde a falta de dados comprometia o sistema de transporte de Teresina. A partir de julho já estaremos operando e a tendência é resolver essa questão de falta de ônibus na cidade”, frisou. 


Paula Sampaio
[email protected]

Imprimir